Envie sua redação para correção
    "Há uma enorme desigualdade na saúde que não tem recebido muita atenção.", analisa James Kirkbride, que foi um dos responsáveis por uma pesquisa que provou que o risco de desenvolvimento de transtornos psicológicos em minorias étnicas é maior. Além disso, essa diferença na saúde também atinge minorias sexuais, resultando em precários atendimentos e afastamento, desses grupos, de cuidados.
      Em primeiro lugar, a minoria étnica tem maior probabilidade de desenvolver doenças psicóticas , porque sofrem preconceito, isolamento e dificuldade de integração devido à migração. De acordo com aquela pesquisa, os africanos que vivem no Reino Unido, comparados aos britânicos, possuem probabilidade 4,1 vezes maior de apresentarem essas doenças. Ademais, há poucas pesquisas disponíveis sobre a relação de saúde com a comunidade LGBT e elas indicam que a situação é deficiente e ineficaz devido a violações e atendimentos preconceituosos.
      Em decorrência disso, o sentimento de insegurança é gerado nesses indivíduos, além de constrangimento e fazem com que eles não busquem por serviços em saúde. Por causa disso, no grupo LGBT índices preocupantes são vistos de distúrbios psicológicos e tentativas de autodestruição, como também há maior probabilidade do abuso de álcool e drogas psicoativas. Por outro lado, em uma pesquisa feita no Brasil, travestis e gays falaram sobre a dificuldade e preconceito que sentem quando buscam atendimento em postos de saúde, além da superlotação, falta de conscientização e despreparo dos profissionais dessa área.
      Portanto, medidas são necessárias para resolver ou amenizar essa situação na saúde. Para isso, o Ministério da Saúde deve investir mais no preparo e treinamento do profissional dessa área, para ele ser imparcial e respeitoso em seu trabalho, de forma que as minorias étnicas, sexuais ou alguma outra se sintam confortáveis no atendimento. Além disso, o Governo junto com a esfera midiática podem promover a conscientização social sobre a tolerância com a diversidade, por meio de palestras e programas em televisão. Também é necessário fazer com que esses trabalhadores entendam e aprendam a separar suas ideologias de seus serviços, que pode ocorrer por meio das palestras e treinamentos feitos pelo poder público.