Enviada em: 13/07/2017

A fragilidade das relações pessoais   Na segunda metade do século XX, com a terceira revolução industrial e com a invenção da internet, ocorre uma grande revolução na comunicação, tornando-a mais rápida e eficiente. Entretanto, essa revolução acabou prejudicando as interações interpessoais, já que, atualmente, infelizmente, o individualismo aparece em primeiro plano e as relações estão cada vez mais frágeis.     Muitas vezes, o nosso modo de vida capitalista faz com que precisemos nos concentrar, cada vez mais, em nós mesmos para alcançarmos nossos objetivos. Porém, esse pensamento individualista acaba trazendo sérios problemas para as relações pessoais, pois as pessoas fazem e desfazem amizades com outras baseadas, apenas, em seus interesses, sem se importarem com os outros, e isso deixa as interações cada vez mais frágeis.   Outro importante fator que propiciou para as relações se tornarem mais supérfluas, foram as redes sociais e a rapidez com que as amizades são feitas e desfeitas, já que para tal ação é necessário, apenas, apertar um botão. Isso se torna mais sério quando, devido a essa facilidade, as pessoas preferem interagirem com outras através da internet do que pessoalmente, com isso mesmo tendo milhares de amigos nas redes sociais, se sentem sozinhas, por não conhecerem grande parte desses "amigos".   Portanto, medidas devem ser tomadas para que haja melhoria nas relações. O Ministério da Educação, com projetos para as escolas, como atividades e trabalhos em equipe, nos quais seja importante a coletividade, e que ajudaria na criação de mais relações. E a criação de campanhas por parte do marketing do governo com a ajuda da mídia, e até mesmo das redes sociais, que ajudem a criar uma mobilização online, para as pessoas deixarem de lado, apenas as interações online, e se encontrarem pessoalmente com seus amigos, criando assim relações mais verdadeiras. Esses seriam passos importantes para uma maior robustez nas relações....