Enviada em: 21/07/2017

"Eduquem as crianças e não será necessário castigar os homens". A afirmação de Pitágoras é fundamental para basear-se nas relações pessoais hodiernas, pois destaca a geração do século XXI como exemplo dos impactos da modernidade líquida, ou seja, com o advento da globalização somado ao surgimento da internet, essa geração se caracteriza pelo individualismo e incertezas quanto a capacidade de se adequar a tantos padrões.   Em primeiro lugar é importante destacar a natureza do ser humano em se relacionar coletivamente. Desde a pré-história, por exemplo, os seres humanos se juntam para sobreviver e "construir" um futuro para seus descendentes. No entanto, a sociedade hodierna está sofrendo um impacto negativo com a transformação  e liquefação das formas sociais e substituição da coletividade pelo individualismo. Dessa forma, com a falta de estrutura emocional e educativa, a população brasileira, principalmente os jovens, está se tornando superficial e pouco segura, com relacionamentos superficiais e sem laços de pertinência, por exemplo.   Além disso, a falta de políticas públicas e de manifestações de instituições educacionais em campanhas e espaços públicos adequados para promover o encontro e a socialização entre os cidadãos, também tem contribuído para a volatilidade das relações pessoais contemporâneas. Fica claro, portanto, que a falta de comunicação, entre uma geração mais tradicional e uma geração atual, é o motivo da instabilidade social e das incertezas desencadeadas pela globalização no contexto social.   Portanto, o caminho para combater os impactos negativos da modernidade líquida é a intervenção das várias instituições, visando uma iniciativa educativa. Logo, o Governo deve investir em eventos públicos para que, dessa maneira, as pessoas sejam incentivadas a se relacionarem mais pessoalmente. Bem como as Escolas devem promover a educação dos alunos à tecnologia social com o objetivo de mesclar uma vida social virtual e pessoal sem prejuízos e na consolidação das relações....