Enviada em: 26/09/2017

Na obra machadiana "Memórias Póstumas de Brás Cubas", o autor tinha uma paixão por Marcela e seu relacionamento era pautado pelas joias que ele a presenteava. Transcendendo a literatura, atualmente os relacionamentos interpessoais são regidos por uma ótica de interesses econômicos, individuais e carnais. Isto posto, essas características são frutos da ascensão das redes sociais e da mudança social de valores.  Assim, é preciso considerar, a princípio, o impacto das redes na virtualização e liquefação das interações pessoais. Desse modo, seu uso pode ser considerado até mesmo um fato social, teoria postulada por Émile Durkheim, visto que é uma ação imposta pela sociedade. Logo, manter amizades online e conversar pelas redes é mais prático e rápido, atribuição encontrada por uma sociedade sem tempo.     Além disso, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) o crescimento vegetativo da população brasileira está diminuindo. Pode-se depreender que os casais preferem se estabilizar economicamente para depois ter filhos e, ainda assim, diferente da geração "Baby Boom", ter somente um ou nenhum descendente. Isso é consequência da mudança de valores sociais proposto pelo filósofo Zigmunt Bauman, na qual as relações pessoais permeadas pela ascensão econômica e social gera um distanciamento da sensibilidade humana presentes em gerações anteriores.   Destarte, é preciso criar medidas para atenuar as características negativas dessa nova forma de interação. Logo, as instituições de ensino devem criar grupos de convivência entre alunos, a fim de enaltecer a importância do convívio pessoal. Essa prática pode abordar debates, relatos pessoais e ajuda em conteúdos escolares, na qual será regida pelo psicólogo da instituição e sem o uso de celulares. Concomitantemente, o Ministério da Cultura deve promover espetáculos que dialoguem com o espectador em espaços públicos, para incentivar a interação entre os presentes. Assim, espera-se que a sensibilidade humana seja resgatada....