Envie sua redação para correção
    O Brasil é o recordista mundial de mortes relacionadas ao futebol, o esporte mais amado do país. Assim, configurando altas taxas de violência no esporte brasileiro como dados que apresentam 101 mortes nos últimos 26 anos, sendo 7 dentro dos estádios e 12  aos arredores. E, o esporte sendo representação de saúde, emoção, comunidade, apoio e respeito, ao ser o palco de tanta violência anula todos esses conceitos. 
     Com isso, a intolerância, sendo cada vez mais relevante atualmente, é a principal causa dessa adversidade. Em virtude da intransigência já  enraizada no ser humano em relação a diversos tópicos, essa se apresenta no esporte com mais intensidade por conta da competitividade e afronta presentes nesta modalidade. Na qual, o objetivo tem ultrapassado a ideia de vitória e conquista, atingindo a ideia de vencer mesmo que fora do campo de jogo. 
      Ademais, a violência no esporte vai além dos estádios. Iniciando-se nas ruas, bares, trânsito e principalmente pela Internet, veículo de maior alcance, no qual personalidades se escondem atrás das "telas", destilando ódio sem noção das consequências. Ainda mais por conta do modo como as mensagens são transmitidas, quando no passado eram bem humoradas, atualmente são com termos agressivos e palavras depreciativas que instigam uma competição violenta. 
      Por conseguinte, o esporte diretamente relacionado ao desafio, equipe, habilidades e dedicação deveria nos unir. Porém em virtude dos fatos mencionados, se tornou a própria forma de manifestação de conflitos. Levando à incapacidade das autoridades em lidar com esse "estilo" de violência, gerando uma flexibilização para tais atos, de certa forma negligenciando-a em comparação a outras ações violentas, não tendo devidas punições.
      Visto  que esse problema só aumenta ao longo dos anos, é necessário uma intervenção. Visando a diminuição de torcidas organizadas, principal sujeito das agressões, seria ideal a exigência do cadastro dos torcedores nos sites de devidos clubes. E também um maior incentivo, por meio dos clubes, à presença de famílias  nos torneios para que assim retornasse a harmonia na torcida e no esporte como já visto antes de tantos desentendimentos. 
    .