Causas e consequências da violência no esporte brasileiro

Envie sua redação para correção
    Conhecido por ser um esporte extremamente violento, a luta de gladiadores - guerreada geralmente por escravos para lutar pela liberdade - era o entretenimento favorito das massas na Roma Antiga. Fora da Idade Média, as diretrizes da violência no esporte ainda perpetuam, principalmente sob o gramado: a indústria midiática futebolística alimenta, cada vez mais, a rivalidade entre os times, ademais que, perante as leis, agressores são minimamente responsabilizados pelos seus danos nos estádios, gerando despreocupação dos mesmos frente seus delitos.       
           Primordialmente, é de se pensar se o Brasil continua sendo o país do futebol, sabe-se que apenas 3% dos processos de violência, no âmbito esportivo, acabam em condenação - segundo o Ministério do Esporte. Assim, com base nos dados e concomitantemente sabendo que os indivíduos não respeitam as regras básicas de convivência, é correto afirmar que, as leis para agressões em estádios devem ser mais rígidas e revisadas pelo órgão legislativo. 
           Sob esse viés, a disputa entre times ganha cada vez mais repercussão nas mídias, entretanto, ao invés de intervir nas noticias conscientizando o propósito pelo qual você está vendo o jogo - que seria torcer pelo seu time - observa-se indiferença na causa. Outrossim, em coerência com as palavras de Jean-Paul Sartre: a violência, seja qual for a maneira como ela se manifesta, é sempre uma derrota, e, com o ganho ou a perda de qualquer time, é evidente que todos falham com as manifestações agressivas. 
           Portanto, para que encerre-se a violência no esporte brasileiro, urge que o Ministério da Justiça e Segurança Publica faça adequações nos meios mais importantes, como as leis reformuladas e mais severas - para advertir quaisquer cidadãos desordeiros - e viabilizando alertas em propagandas - expondo o quão prejudicial é para seu time e a si mesmo, a desordem nos campos. Dessa forma, será possível promover a harmonia dentro e fora de quadra, integrando e assegurando a todos da igualdade, como a Idade Contemporânea reflete, o ser humano está em novos tempos.