Envie sua redação para correção
    É indubitável que os atos de barbárie no esporte, infelizmente, assolam o Brasil, pois, em 2017, de acordo com levantamento realizado pela Pesquisa de Mestrado da Universo, coordenada por Maurício Murad, foram registrados cento e quatro episódios de violência relacionados ao futebol, que resultaram em onze mortes de torcedores. Nesse sentido, cabe afirmar que a segurança em dias de jogos e o exacerbado sentimento de intolerância a determinados times esportivos devem ser reavaliados.
     Cabe comentar, dessa maneira, que as medidas de segurança nos jogos ainda são falhas. Acerca desse tópico, é necessário destacar que algumas providências já foram adotadas, de acordo com artigo publicado em 2014 no site da Obvious, como a proibição de identificação de torcidas uniformizadas, entretanto, tais ações ainda não foram suficientes para coibir a violência. Consequentemente, atos bárbaros no esporte continuam a se fortalecer e causar horror perante a sociedade.  
     Ademais, vale ressaltar que o resultado mais sublime da educação é a tolerância (Helen Keller; escritora norte-americana). Com isso, percebe-se que a violência vislumbrada nos eventos esportivos está intrinsecamente ligada à falta de tolerância e, naturalmente, à educação. Assim, desvela-se que o âmago da problemática apresentada é a educação conferida às gerações.
     Dessarte, haja vista os malefícios da violência no esporte, é imprescindível que o Ministério da Justiça e Segurança Pública - responsável por garantir e promover a segurança de todos - estabeleça a paz nos dias de jogos, por meio de envio de maiores e mais preparadas frotas policiais aos principais pontos de encontro dos torcedores, a fim de diminuir drasticamente as ocorrências nesses locais. Somado a isso, a tolerância deve ser ensinada pela família e reforçada pela escola, para que os futuros cidadãos saibam respeitar toda a diversidade existente no País. Somente após a aplicação de tais medidas será possível afirmar que o cenário de violência no esporte faz parte apenas do passado.