Causas e consequências da violência no esporte brasileiro

Envie sua redação para correção
    Realidade de muitos países, inclusive o Brasil e que atinge as diversas modalidades, o esporte está frequentemente em destaque nas notícias associado a registros de violência. Assistir a uma simples partida de futebol nos estádios deixou de ser um programa familiar em razão do aumento assustador dos casos de agressões. Fato esse, que se deve a alterações comportamentais decorrentes de uma sociedade de riscos e com consequências para todos.
    Em primeiro plano, as contradições do avanço tecnológico e científico da modernidade tardia brasileira geram incertezas nos indivíduos levando-os a constante reflexividade. Além disso, as frustrações e fracassos de seus projetos pessoais somados a históricos de abusos e pobreza funcionam como pólvora e têm reflexo também nas atividades esportivas. Pesquisas como a realizada pela empresa R7 comprovam o crescimento dessas ações explosivas dentro e fora dos estádios nos últimos anos. As tecnologias existentes facilitam a organização premeditada de ataques simultâneos e com uso de vários tipos de armas.
    Ademais, o individualismo acentuado rompeu com as formas tradicionais de relacionamento. O mundo globalizado, as múltiplas possibilidades e abundância de informações induzem os mais fragilizados a escolha de caminhos sombrios que os colocam no estado de natureza em total liberdade semelhante à tese defendida pelo filósofo Thomas Hobbes, onde o homem se torna o lobo do homem. É notória a existência do medo, da insegurança, da falta de controle das autoridades, dos prejuízos financeiros aos patrimônios público e privado além das sequelas deixadas nas vítimas.
    Evidencia-se, portanto, íntima relação entre as causas e consequências da violência nos esportes a comportamentos da modernidade. As polícias e diretorias de clubes, em conjunto e com o uso de aparelhos como  câmeras e GPS devem planejar e mapear os eventos antecipadamente a fim de minimizar as tragédias e proporcionar segurança ao cidadão. A tendência, com a redução dos índices, é o do retorno das famílias aos estádios.