Envie sua redação para correção
    Na antiguidade, o esporte já era praticado em diversas cidades gregas e sua prática envolvia diversos tipos de atividades, representa valores sociais de integração social, disciplina e respeito, no Brasil, o marco da cultura brasileira é o futebol. Entretanto, o conceito do que seria esporte não é visto dentro dos estádios. Nesse contexto,deve analisar a conjuntura da sociedade atual e a inoperância estatal.
              No que se refere à violência dentro dos estádios, muito se nota devido a aspectos da contemporaneidade, com uma juventude cada vez mais esvaziada de consciência social e coletiva. Esse aspecto reflete, principalmente no esporte devido ao alto nível de competitividade e amor pelo seu time, causando a insatisfação quando não há o resultado desejado. Baseado nas conclusões de Freud a Teoria Frustração/Agressão, que considera a violência originando-se na frustração que o indivíduo sente numa determinada circunstância, ou seja, a insatisfação, via de regra, da origem à agressividade. Fato inadmissível dentro do esporte brasileiro, tendo em vista que essas atitudes se contradiz com o real significado da palavra esporte.
                     Ademais, vale ressaltar que essa situação é ainda mais intensificada pela falta de políticas estruturais. Isto é, não há formulação de leis eficazes para diminuir os casos de violência no esporte, com isso às pessoas sentem-se livres para promover badernas e agressões físicas e verbais dentro e fora de campo. A exemplo da irresponsabilidade do governo, em 20 de agosto de 1995, o Pacaembu foi o campo de batalha entre torcedores do Palmeiras e São Paulo, o que resultou na morte de um adolescente e 101 feridos, tal evento marca a questão da violência que ,infelizmente, ainda se perpetua até os dias atuais. Por consequência da falta de segurança o sonho o sonho de ver seu time jogar torna-se cada vez mais distante.  
                      Portanto, os fatos supracitados evidenciam que é necessário uma mudança nas regras e nas leis dentro do esporte. Nesse sentido, o Governo Federal em conjunto com o Ministério do Esporte deve formular e intensificar estratégias e leis para punir os causadores de brigas, assim dando um maior conforte e segurança dentro dos estádios, por meio de maior número de policiais, monitoramento das torcidas antes da entrada e nas arquibancadas, proibição das torcidas se houver a violência com proibição de 3 anos para os responsáveis e ainda prisão imediata. Espera-se, com isso, a diminuição dos casos, fazendo as pessoas pensarem sobre o esporte como ferramenta de união, alegria e diversão.