Envie sua redação para correção
    Com a Terceira Revolução Industrial, ocorreu o advento da tecnologia, que trouxe consigo formas de se melhor comunicar na sociedade brasileira. Porém, a dependência de recursos tecnológicos pode gerar uma patologia: a cibercondria. Convém, então, analisar a influência de jogos eletrônicos na maneira de pensar e a troca de um diagnóstico médico por um texto lido na internet como uma problemática na sociedade brasileira. 
         Em primeiro lugar, nota-se que na atualidade muitas pessoas são influenciadas por universos criados em um jogo eletrônico. Tal situação é explicada pelo fato de pessoas ao verem determinada situação acontecendo em um jogo, tentam recriá-la na realidade, como os jogos de tiro, que levam a pessoa a matar seu oponente. Assim, medidas devem ser tomadas para o combate da influência de jogos eletrônicos na maneira de pensar da sociedade contemporânea.  
         Ademais, observa-se que no Brasil, muitas pessoas deixam de fazer uma consulta médica, para se consultarem em sites da internet. Desse modo, as pessoas se colocam em elevados riscos de saúde, pois ao não terem um diagnóstico médico adequado, e ao se confiarem em textos da internet, se envolvem em grandes problemas, como a automedicação. Prova disso, são os dados do ICTQ que apontam que mais de 75% dos brasileiros optam pela automedicação, tornando notória a importância da conscientização da sociedade para se fazer consultas médicas adequadas. 
         Diante disso, deve-se tomar medidas para resolver o problema da dependência de recursos eletrônicos no Brasil. Desse modo, o Estado deve impor regras para empresas de jogos eletrônicos, por meio da criação de leis que façam com que as empresas coloquem no ambiente do jogo, mensagens de conscientização a não-violência, com isso a sociedade irá parar de ter seu pensamento influenciado por um jogo. Ademais, cabe ao Ministério da Saúde combater a automedicação dos brasileiros, por meio da colocação de tendas de conscientização contra a automedicação em locais públicos, para que a população tenha garantida a consciência de que optar por uma medicação dada por um médico é de melhor agrado para sua saúde. Afinal, como afirma Platão: "O importante não é viver, mas viver bem".