Cibercondria: a doença da era digital

Envie sua redação para correção
    É indubitável que com o avanço da internet, novos meios de comunicação foram desenvolvidos para unir pessoas de todo o mundo. Porém, essa nova tecnologia trouxe para a população certos costumes que não existiam como pesquisas no google e jogos eletrônicos fizeram com que crianças, jovens e adultos ficassem dependentes dessas ferramentas e desenvolvessem o que chamamos de Cibercondria (doença da era digital) que afeta não só a população brasileira, como também global.
          Em primeiro lugar, nota-se pessoas utilizando pesquisas no google para realizar diagnósticos de doenças com base em seus sintomas. Isso não acontece apenas em relação a diagnósticos médicos, como também ao tratamento da enfermidade que é apresentada pela ferramenta de pesquisa. A facilidade de abrir uma aba no google, digitar seus sintomas e acreditar em uma resposta mais rápida que confiar no sistema público de saúde que, infelizmente, falha com seus pacientes.                                              Em segundo lugar, os jogos eletrônicos que prejudicam, principalmente, crianças, jovens e até mesmo adultos, que ficam horas e horas em frente ao computador. Os jogos online, por exemplo, oferecem aos seus jogadores a possibilidade de jogar entre amigos e desperta aquela sensação maravilhosa de vitória. Porém, essa sensação causada pelos jogos levam os seus admiradores ao vício prejudicando sua saúde física (sonolência), mental (fadiga) e até mesmo a vida social (isolamento).                Urge que o Governo Federal em parceria com o Ministério da Saúde invistam na reparação de hospitais, compras de equipamentos hospitalares, rapidez na entrega de exames e a realização de consultas rápidas e eficazes, para que assim possa despertar a confiança da população. Urge também que o Governo Federal em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações realizem campanhas para informar os perigos que os jogos eletrônicos podem causar as pessoas que utilizam dessa ferramenta de entretenimento de maneira errônea e assim trazer a diversão sem prejudicar a saúde.