Cibercondria: a doença da era digital

Envie sua redação para correção
    Desde 1994, quando a internet começou a ter uma iniciativa privada no Brasil, muitas pessoas aderiram este novo meio de comunicação, visto que, atualmente, 116 milhões de brasileiros estão conectados à internet, segundo o IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Esse aumento trouxe consigo mutos benefícios, mas também, algumas desvantagens, tais como a cibercondria, ansiedade em demasia causada por buscas on- line relacionadas à saúde. Estas pesquisas além de ansiedade podem gerar vários outros prejuízos à saúde, que poderiam facilmente ser evitados, esquivando- se das averiguações on- line.
          Hodiernamente, a rotina das pessoas é cada dia mais acelerada, seu tempo se torna mais precioso a cada minuto, nesse cenário, onde se quer tudo "para ontem", é natural que se desenvolvam vários casos de ansiedade (principal causa da cibercondria). De acordo com a OMS, Organização Mundial da Saúde, 23,9% dos brasileiros têm transtornos de ansiedade. Nesse contexto, pode se ver o reflexo da vida agitada que se leva dia após dia, criando condições perfeitas para que as pessoas se tornem hipocondríacas. 
    
          Ainda, se pode salientar a má adequação dos sites como um impulsionador desse problema, posto que, nem todos os sites possuem uma fonte confiável. Para minimizar este problema os arquitetos Marcelo Benincasa e William Torgam desenvolveram um projeto que apresenta na página de busca do navegador os sintomas, causas e tratamentos das quinhentas doenças mais pesquisadas, uma vez que, todas informações ali presentes possuem fontes confiáveis, este projeto é muito importante, pois as pessoas não deixarão de pesquisar sintomas, porém, assim, encontrarão materiais confiáveis. 
    
          Infere- se, portanto, que ainda há entraves para garantir a resolução deste problema. Porém, ele pode ser minorado através de projetos governamentais ou dos próprios navegadores que visam trazer mais informações verdadeiras, além disso, cada pessoa, não só deve procurar ajuda terapeutica quando necessário, mas também, se conscientizar dos riscos da automedicação. Consoante, o poeta austríaco Karl Kraus, "Uma das causas mais comuns de todas as doenças é o diagnóstico".