Cibercondria: a doença da era digital

Envie sua redação para correção
    Mark Zuckerberg, criador e dono das maiores redes sociais do mundo, e quase impossível alguém não o conhecer. Desde os últimos anos até os dias atuais a era digital foi a mais inovadora, hoje podemos comprar, pagar contas e tudo o que imaginar pela Internet. Porém muitos hoje se tornaram dependentes da rede, mal conseguem ficar um pequeno período sem.       Diante disso, o mundo digital que conhecemos não é só um mar de rosas, muitos males podem prejudicar o cotidiano. Igualmente como muitas pessoas são viciadas em usar o celular, computador e vídeo games, prejudicando até mesmo a saúde. De acordo com estudos, o “TecMundo” diz que em média passamos 3 horas por dia conectados, independente do que seja. 
           Além disso, quando conectados, não percebemos o que acontece no mundo normal, nossa atenção fica focada em um único lugar, o que pode ser perigoso para o olhar de outras pessoas. É evidente que não ter contato com a Internet hoje pode parecer estranho. Muitos hoje deixaram de fazer o que era comum e optou a rede, por exemplo assistir filmes. 
           Por conseguinte, a Internet serve para facilitar nossas vidas, porém as vezes passamos dos limites. É importante ter em mente a malicia que existe no mundo, prestar atenção no que acessa ou compartilha. Como também o perigo que existe no momento que há distração, logo a única solução para controlar a situação é por si mesmo, visando o próprio bem estar, e dos demais.