Enviada em: 21/07/2018

A paz que se encontra no medo        As guerras sempre fizeram parte da história. Antes da segunda guerra  mundial houve incontáveis lutas pelos mais variados motivos: poder, dinheiro, território e outros. Porem, após o ocorrido em Hiroshima e Nagasaki, as grandes batalhas diminuíram. O espanto com a força nuclear foi tamanho que o medo se espalhou pelo mundo e tomou conta de todos e neste momento de aflito se iniciou uma nova era, a qual caminha, talvez, a um lugar melhor.       Noticias sobre guerras já não são mais comuns em nosso cotidiano, exceto pelas guerras ainda travadas no oriente médio, não é mais algo frequente. Isso se deve em grande parte ao medo, a ameça de destruição de uma cidade ou varias é motivo de dor de cabeça para qualquer um que queira iniciar ou ameaçar um ataque. Nesse aspecto, o perigo das armas nucleares se torna positivo pois vem evitando diversas batalhas e catástrofes.        A união entre países também vem colaborando com a paz. A União Europeia, o Mercosul e outros acordos e uniões internacionais estão cada vez mais comuns, isso faz com que haja controle sobre as ameças e ocorra a união de poderes. A troca de tecnologias e conhecimentos abre espaço para outros usos do material nuclear. O investimento em pesquisas e estudos podem trazer benefícios, o uso de energia limpa, a aplicação em maquinas não militares, tratamentos médicos e outras diversas formas com as quais a energia atômica poderia ser usada trás a esperança em um futuro antes inimaginável.        Portanto, o medo se faz positivo, como Maquiavel já dizia, mais vale ser temido do que amado, pois o temor trás consigo o medo da punição, e é esse o conceito que uma guerra nuclear trás consigo e com o temor da punição, as nações caminham obedientes a paz e assim o mundo caminha cautelosamente para um futuro melhor....