Envie sua redação para correção
    Segundo a Declaração Universal de 1948, todo ser humano tem direito à moradia , com condições de ocupação estáveis e adequadas. Entretanto , hodiernamente, na esfera brasileira , tais circunstancias não são garantidas , uma vez que o déficit habitacional é uma adversidade grave , que acentua-se devido aos altos custos de moradia aliada a precariedade dos locais de sobrevivência da população de baixa renda. Nesse contexto, é imperioso mitigar com essa realidade , por meio do apoio social e politico , na perspectiva de que as pessoas consigam melhores condições de vida. 
      Em primeiro lugar , a desigualdade social destaca-se como problemática dentro da esfera do déficit habitacional . Nota-se que no livro ‘’O Cortiço “ de Aluizio de Azevedo , as moradias de baixa qualidade e precárias pertenciam as pessoas com salários baixos e os indivíduos de altas classes possuíam locais luxuosos. No entanto , essa realidade não é apenas uma descrição literária , refere-se aos dias atuais , posto que nas áreas metropolitanas o custo de vida é alto e apenas cidadãos com salários proporcionais sobrevivem , o que problematiza o cotidiano dos pobres , no que tange obter uma moradia de qualidade.Assim , contata-se cabível as ideias do filósofo Karl Marx , que afirmava que o homem pode fazer suas escolhas , mas que as condições sociais são influenciadas pelas condições econômicas .Dessa forma, demonstra-se uma questão injusta, sendo que a desigualdade social tem o poder de moldar a vida da população.   
       Além disso , outro obstáculo relacionado à moradia é a ausência de politicas públicas para auxiliar as áreas precárias. Nesse âmbito , é indubitável que o programa ‘’Minha casa minha vida’’ , amparou diversas famílias , todavia , a questão do déficit habitacional é ampla , o que não auxilia de devida maneira, visto que regiões como o sudeste , em que há maior concentração populacional , há pouco apoio e auxilio para as pessoas obterem um local adequado , em vista disso muitos deslocaram –se as periferias , sendo que estes locais não tem nem um saneamento básico , comprometendo , desse modo , a vida de diversas pessoas com a possibilidade da obtenção de doenças com o esgoto sem canalização.
       Fica evidente , portanto que o déficit habitacional é um impasse brasileiro que precisa ser mitigado. Cabe ao Ministério dos Direitos Humanos aliado ao Estado a construção de residências adequadas , por meio de programas , de longa extensão regional , recorrendo a verbas governamentais e auxilio de financiamento de bancos , com o intuito de que as pessoas tenham uma maior chance de obter um lar apropriado e , consequentemente , ter uma vida saudável .