Déficit habitacional no Brasil

Envie sua redação para correção
    Desde o Iluminismo e, posteriormente, a Revolução Francesa, seguimos a ideologia que somos todos iguais, tornando assim, uma sociedade mais justa, desfrutando da fraternidade e felicidade mútua. Hoje, apesar do contexto de consolidação da democracia, é possível constatar que a desigualdade socioeconômica brasileira está muito ligada à má distribuição de renda e participação social. Nesse sentido, o déficit habitacional torna-se um fator decorrente devido a essa problemática. Portanto, é necessário analisar e efetivar medidas para a solução desse impasse.
      Desde o início do Estado Novo, no século XX, o Brasil vem seguindo um progresso de industrialização, o que acarretou em um grande êxodo rural. No entanto, a crescente demanda populacional nos novos centros urbanos, trouxe um grande surgimento de favelas, localizadas em zonas de risco, ocasionando em enchentes, erosão, deslizamentos etc...a precariedade desses conjuntos de habitações, é vigente , pois, a má remuneração de renda os levam a se agregar nessas localidades. Por fim, a escassez de dados reduz a transparência das ações públicas, violando o princípio da publicidade. Em conjunto, esses obstáculos comprometem a efetividade das ações governamentais em tais locais, em que muita das vezes são dominados por quadrilhas de tráfico.
       O pensamento iluminista visava  em uma participação de todos os inquilinos de uma sociedade, aos seus direitos políticos e sociais . No Brasil, apesar de haver um avanço na emancipação dos direitos civis, e o crescimento da classe C, é notório o segregacionismo, denunciando as diferenças de qualidade de vida. A participação social do indivíduo, deveria atribuir como um todo à população a uma vida digna, moradias seguras, com atendimentos  de qualidades e bem remunerados . Porém, o Censo de 2010, ainda cerca de 11,4 milhões de pessoas (6% da população) viviam em aglomerados subnormais, segundo dados do IBGE,
        Visto isso, faz-se necessário a reversão de tal contexto, cabe ao Estado, por intermédio do Ministério de Planejamento , fomentar projetos de construções de conjuntos habitacionais, ampliando-os, de modo, a retirar as pessoas que moram em zona de risco, a uma área segura , afim de diminuir as precariedades de tais habitações irregulares. Por sua vez , deve-se fazer um reajuste salarial, em que o trabalhador seja bem remunerado , tendo condições a usufruir de bens e valores iguais como um todo, como propósitos de devolução às desigualdades segregadas . A Mídia mais ampla ,deve elaborar os esclarecimentos dos direitos do cidadão , dando a sua importância em participação política, incentivando a trabalhos comunitários as pessoas que sofrem em favelas, promovendo a emancipação a uma sociedade mais justa ." O importante não é viver, mas viver bem", assim dizia o filosofo  Platão