Enviada em: 16/08/2019

No Brasil, as taxas de alunos que ingressam nas universidades vêm crescendo anualmente, contudo os índices de evasão também, o que resulta em boa parte dos alunos que entraram saem antes da conclusão do curso. Essa realidade pode ser resultado de diversos fatores, dentre eles, a dificuldade de conciliar estudo com o trabalho aparece, além da não indentificação com o curso em questão.       Em primeiro lugar, é válido salientar que a falta de conciliação entre trabalho e estudo é um grande agravante à problemática. Deste modo, assim como afirma o Pedagogo Paulo Freire em sua obra "A pedagogia do oprimido", a realidade muitas vezes afasta o indivídou da educação, uma vez que a necessidade do trabalho para o sustento impossibilita uma estável estadia no Ensino Superior.       Além disso, a falta de identificação e integração com o curso escolhido é outro obstáculo a ser superado. Dessa maneira, esse problema é resultado da incapacidade da sociedade auxiliar o jovem na escolha de seu curso, no qual termia por desencadear no recém universitário insatisfação e aversão à disciplina.       Deste modo, visto os aspectos abordados, com a finalidade de se reduzir os índices de evasão, cabe ao Ministério da Educação, por meio de programas de apoio, auxiliar o estudante, a partir de palestras e especialistas de saúde mental e física, buscando trazer ao estudante identificação com o curso. Alem de ampliar os programas do Governo Federal, os quais fornecem bolsas de estudo evitando a dupla jornada dos estudantes entre universidade e emprego....