Enviada em: 18/08/2019

Segundo o Ministério da Educação (MEC), nos últimos anos, o sistema de educação brasileiro sofreu constante aumento dos índices de evasão educacional. Esses dados são bastante representativos na classes universitária, pois a falta de planejamento dos indivíduos e a precariedade da educação básica resultam, portanto, no processo de desistência da carreira universitária.     Desde as revoluções industriais, o processo de aperfeiçoamento técnico tornou-se cada vez mais exigido pelo mercado. Assim, muitos optam pela carreira universitária como forma de desenvolvimento individual. Entretanto, a pressão social e econômica decorrente do mercado de trabalho resulta, diversas vezes, na escolha da carreira sem o devido planejamento, decisão que implica no aumento da evasão , pois os indivíduos acabam vivenciando um contraste desmotivador entre o cenário acadêmico e o mercado de trabalho.     Além disso, é notório o deficiente panorama da educação básica no Brasil. Segundo o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), o ensino de base tem apresentado dados alarmantes. Essa carência de ensino perpetua entre as séries escolares, que acabam formando indivíduos despreparados. Dessa forma, ao ingressarem no ensino superior acabam encontrando dificuldades no processo de ensino e, portanto, decidem pela desistência.     Sendo assim, torna-se necessário medidas para a diminuição dos índices de evasão. Portanto, o MEC junto aos órgãos de educação estaduais devem por meio de professores e psicólogos implementar atividades educacionais e projetos sociais a fim de desenvolver o ensino básico e auxiliar a sociedade quanto a escolha universitária pretendida, além de os preparar para os futuros desafios da vida no ensino superior,  auxiliando assim na diminuição dos índices de evasão universitária....