Enviada em: 20/08/2019

Na frase: "o homem é aquilo que a educação faz dele", Imannuel Kant evidencia a importância desse recurso em uma sociedade. Entretanto, os índices de abandono escolar nos últimos anos tornaram-se preocupantes, uma vez que compromete a vida dos evasivos e da nação. Diante disso, vale analisar com maior amplitude os desafios que impedem uma educação de qualidade no atual cenário brasileiro.     Precipuamente, cabe ressaltar os motivos corroboradores do pertinente problema nas escolas públicas do país. Por fatores como o desemprego, por exemplo, que, segundo o IBGE, atinge mais de 13 milhões de brasileiros atualmente, o jovem é obrigado a contribuir no sustento familiar. Desse modo, não há outra alternativa além de não frequentar mais sua escola. Além disso, o filme, "Simplesmente Acontece", relata um caso de gravidez indesejada na adolescência, o que resulta no afastamento da protagonista de sua faculdade. E, tendo em vista que, segundo a Organização Mundial da Saúde, o Brasil apresenta uma taxa de 67 gravidezes a cada 1000 adolescentes, entre 15 e 19 anos, é possível estabelecer uma relação entre esse vultoso índice com os de evasões escolares.       Por conseguinte, destaca-se que esses abandonos resultam em um ciclo vicioso de má educação, desemprego e miséria. No contexto de que o marcado de trabalho, por conta dos avanços tecnológicos ocorridos após a Segunda Revolução Industrial, está exigindo cada vez mais qualificações, o cidadão não graduado vê-se com dificuldade de conseguir e manter algum emprego. Esses, por sua vez, recorrem ao trabalho informal dos filhos para garantir o sustento de sua família, o que resulta em mais um caso de evacuação escolar. Desse modo, compreende-se a colocação do Brasil no ranking mundial da educação, elaborado pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico, o qual se encontra em penúltimo lugar em relação a 40 países.      Diante dos fatos supracitados, portanto, urge que medidas sejam providenciadas para a erradicação desse empecilho. Para que os jovens consigam trabalhar ou manter uma gravidez saudável sem haver a necessidade de abandonar os estudos, o Ministério da Educação deve propor um novo método educacional, que, por meio de aulas onlines e regulares, facilite o acesso do indivíduo a uma educação de excelência. Não só isso, o MEC, em parceria com o Ministério do Comércio, também deve estabelecer a obrigatoriedade do certificado de conclusão de ensino médio nas ofertas de todos os empregos, com o fito de estimular a permanência dos cidadão que já frequentam a escola. Desse modo, somente, o Brasil deixará o penúltimo lugar no ranking e fará jus à ideologia de Kant....