Enviada em: 22/08/2019

A Universidade de Paris, fundada no século XII, deu inicio a criação de varias outras pela Europa, mesmo separados pela Igreja era necessário autorização do governo ou do clero. Entretanto, nem o direito à educação certificado pela Constituição Cidadã garante que a população tenha acesso, ou se tem é de péssima qualidade. Nesse sentido, com base no livro Cidadão de Papel, de Gilberto Dimenstein, é necessário investir na educação desde do fundamental as universidades, assegurando menor desigualdade social em relação aos estudos.      Em primeiro lugar, é notório as dificuldades enfrentadas por uma mazela da população, principalmente ao se tratar de educação e renda. Prova disso é a dificuldade de vários jovens, que mesmo possuindo bolsas integrais, não conseguem se manter na faculdade privada pela falta de recursos ou não conciliar o trabalho e estudos, ocorrendo o aumento da evasão universitária. Também se pode notar um descaso do governo com a estrutura de muitas universidades, onde diversos campos estão em péssimas condições e há falta de professores, como corre na UESPI. Desse modo, nota-se que não é só o aluno que, agravado pela crise econômica, tem que trabalhar, como o governo não faz os devidos investimentos na educação.       Além dos fatores econômicos, há fatores internos que intensificam essa postura. No cenário brasileiro, a instabilidade de capital é a realidade de muitas famílias, levando ao jovem desejar acensão social, acarretando escolhas de curso superior pelo salario. Logo no inicio do primeiro período, muitos estudantes percebem que o curso não é aquilo que almejava, o que leva a troca de curso, esse fator ainda é agravado pela falta de assistência ao aluno não prestada pela universidade. Todos esses fatores perpetua-se no ideário do acadêmico, aumentando os índices de evasão universitária.         É necessário, pois, que se reverta a mentalidade de que os cursos de medicina, direito ou engenharia são os únicos que dão dinheiro. Para mudar tais posturas, o Estado deveria aumentar os investimentos em universidades federais e estaduais, que no ano de 2019 foi de 35,5 bilhões menor do que a cinco anos atras que foram 38,1 bilhão de reais. Paralelamente, é fundamental o papel da escola de promover workshop de profissões já que, segundo Immanuel Kant, "o homem é aquilo que a educação faz dele". Portanto, as instituições de ensino publico e privado poderia oferecer oficinas de carreira, com diversos especialistas de diferentes áreas para contar suas experiencias no campo, como de fato são abordados as aulas, o que é tratado por elas, a fim de quebrar estereótipos sobre inúmeros cursos superiores....