Enviada em: 28/08/2019

A desistência nas faculdades brasileiras estão cada vez mais frequentes, com índices ultrapassando 20% tanto no setor público quanto privado, segundo o Censo da Educação Superior. Essa evasão tem como suas principais causas a troca de curso e a dificuldade em conciliar trabalho e estudo e suas consequências atingem diretamente e de forma negativa no desenvolvimento do Brasil.            Um dos principais fatores que contribuem para as trocas de curso é a falta de experiências ofertadas durante o período escolar, o qual o aluno finaliza sem ter alguma percepção do que quer para sua vida profissional e acaba por escolher qualquer faculdade. Enquanto isso, em relação aos que não desejam mudar, também ocorre a dificuldade em conciliar o trabalho e os estudos: principalmente em famílias pobres e menos favorecidas, tendem a priorizar o trabalho pelo fato de gerar uma renda, mesmo que envolva trancar temporariamente o curso ou desistir dele.            Diante das desistências, é possível constatar que o desenvolvimento do Brasil também é afetado: com menos profissionais se formando, o avanço tecnológico do país estagna e resulta na carência de informação e dependência. Da mesma forma, nota-se uma situação semelhante acerca do período escravocrata do Brasil: Uma sociedade que se encontrava dependente de escravos e não buscavam o progresso científico, enquanto os outros países já haviam abolido a escravatura, o Brasil mantinha, pois gerar dinheiro era considerado mais importante que o desenvolvimento geral da nação.            Em síntese, a evasão universitária não só afeta os desistentes como também o país como um todo. Por isso, percebe-se a urgência de lutar contra esse problema: o Governo Federal deve fundar um projeto que tenha como objetivo trazer experiências gratuitas para as escolas, de modo que inspirem os alunos e, além disso, deve mostrar a população sobre o valor de concluir o ensino superior através de palestras gratuitas e com uso de vocabulário fácil. Assim, a evasão atenuará e a ciência ascenderá....