Enviada em: 02/11/2018

O rompimento da barragem de Mariana - MG, foi considera a maior tragédia socioambiental dos últimos tempos. Tendo em vista que, o acontecimento é reflexo ambiental da imprudência atribuída pelo o Estado, quanto a preservação das riquezas naturais brasileiras.  Sobre esse aspecto, convém analisar as principais causas, consequências e possível maneira de solucionarmos a problemática.    Em primeira análise, destaca-se a negligência do setor público em realizar vistorias nas indústrias de minério como ápice desse desastre ambiental. Visto que, de acordo com dados oferecidos pelo IBGE, há 2 anos a empresa Samarco estava sob aviso de fiscalização, porém em momento algum o local recebeu um gestor público para avaliar as condições de preservação ambiental que deveria existir naquele local. Logo, é evidente o descaso que as indústrias junto ao Estado atribuem quanto a preservação do meio ambiente e o bem-estar da população.     Contudo, as consequências dessa catástrofe socioambiental se perpetua até os dias de hoje, mesmo após três anos desse desastre. Conforme divulgado pelo Ministério da Agricultura, cerca de 247 famílias foram afetas diretamente com o acontecimento e, por volta de 11 toneladas de seres vivos foram subterrados nesse local, isso por conta do assoreamento do rio causado pela lama rica em resíduos de minério daquele local. Ademais, é possível afirmar que esses acontecimentos proporcionam grandes prejuízos econômicos, ambientais e até mesmo, cultural.    Para que políticas ambientais sejam alcançadas, é necessário que o Estado juntamente com a ONU, pensem  em regulamentações dos recursos naturais usados pelas grandes empresas, como foi o caso da Samarco. Além de desenvolver medidas punitivas para aquelas Indústrias ou estados responsáveis por essas imprudências ambientais. Visto que, segundo Agostinho de Hipona,  a liberdade e a responsabilidade caminham juntas. Logo, é necessário que a população exija também dos Governos medidas de fiscalização para solucionarmos essa grande problemática....