Enviada em: 17/08/2017

Considerado o maior desastre ambiental dos últimos cem anos, o rompimento da barragem da Samarco em Mariana - MG marcou o ano de 2015. A tragédia que devastou o distrito de São Bento, infelizmente, ainda busca respostas, entre elas, se houve negligência por parte das empresas envolvidas. De fato, há grandes evidências de que a falta de responsabilidade ambiental e desenvolvimento sustentável foram importantes causas desse episódio.    O rompimento foi de tamanha magnitude que é quase impossível aceitá-lo como aciente. Além de danos causados ao meio ambiente, ele ainda trouxe perdas humanas e culturais, o que torna maior parte do desastre irreversível. Esse acontecimento aponta terríveis falhas nas medidas de prevenção e falta de fiscalização eficiente sobre suas condições de segurança.      Também é preciso atentar-se para necessidade de se discutir a respeito da sustentabilidade tão pouco praticada no Brasil, tendo em vista que a lama tóxica que causou diversas mortes e trouxe prejuízos ao ecossistema local foi consequente de ações insustentáveis praticadas. Dessa forma, o planejamento ecológico mostra-se inevitável para que haja harmonia entre o progresso no desenvolvimento e a qualidade de vida.   Assim, é possível afirmar a urgência de leis mais severas na area do meio ambiente. Junto a elas, medidas de prevenção como palestras por órgãos do governo em empresas, escolas e para a comunidade, visando a mudança nos hábitos da população e principalmente de grandes empresas.  A mancha dessa tragédia deverá ser o marco da construção de uma nova realidade....