Envie sua redação para correção
    Os desastres ambientais  não são apenas ecológicos,mas também sociais e econômicos. De acordo com O Globo, o índice de depressão entre os sobreviventes do desastre de Mariana  são de 28%,afetando todas as faixa etárias de idade, e em contra ponto a média nacional de depressão é de 5,8%. Além disso, a Vale, empresa dona das barragens de Mariana e Brumadinho, teve a maior e mais rápida desvalorização da história da bolsa de valores brasileira, sendo o valor perdido de 70 bilhões após o desastre de Brumadinho. Nesse âmbito, pode-se analisar que a problemática persiste e vai além do meio ambiental.
      Primeiramente, os índices de depressão das vitimas de Mariana são apenas um dos apontamentos na '' Pesquisa Sobre a Realidade de Saúde Mental em Mariana", feita pelo grupo O Globo em conjunto com Cáritas Brasileira. Ademais, na pesquisa foi constado que 82% das crianças e jovens que presenciaram o desastre tem sinais de transtorno de estresse pós traumático e já apresentaram comportamento suicida. Entretanto, as autoridades se omitem em cobrar da Vale, empresa dona da barragem, as devidas indenizações e apoio psicológico. Dessa forma, a Vale, continua impune dos crimes ambientais e sociais.
      Segundamente, A empresa Vale, responsável pelos desastre  Brumadinho, tem o Brasil como um dos acionistas majoritários, ou seja, com grande influencia dentro da empresa. Nesse viés, a perda de 70 bilhões de valor de mercado após o desastre de Brumadinho, afeta não só a empresa em si, mas o governo e posteriormente a sociedade brasileira, com a criação de menos empregos,queda de ações do governo brasileiro, gerando menos investimentos . Dessa maneira, levando para o mundo uma imagem do Brasil de um país que não se importa com o próprio território, além dos impactos sociais e econômicos internos.
      Pode-se perceber, portanto, que os desastres ambientais compreendem também os aspectos sociais e econômicos. Para que a problemática seja resolvida, é necessário que o governo seja rígido com o
    Departamento Nacional de Produção Mineral e Agência Nacional de Mineração,para que atuem
    firme no papel de cobrança e fiscalização das indenizações e apoio psicológico as vitimas, das multas pelo estrago ambiental e da mensal fiscalização a todas barragens do Brasil. Por conseguinte, o intuito é de dar amparo aos afetados pelos desastres e levar futuramente a erradicação de novas chances de desastres ambientais. Ação iniciada no presente é capaz de modificar o futuro de toda a sociedade brasileira.