Envie sua redação para correção
    Apesar das calamidades que circundam a Segunda Guerra Mundial, o período fomentou os avanços medicinais a partir de técnicas inovadoras, a exemplo da transplantação de órgãos, que somada ao desenvolvimento tecnológico atual possibilitou salvar diversas vidas. Analogamente, mesmo com o progresso, o procedimento ainda enfrenta dilemas para ser executado no Brasil. Nesse contexto, torna-se evidente que a doação de órgãos deve ser um processo claro para a sociedade, pois com conhecimento os dilemas tendem à cessão.
     Sob esse viés, o filósofo Peter Singer afirmou que o valor da vida é uma questão ética notoriamente difícil e logo se estabelece uma relação entre seu dizer e as questões que são levantadas no processo de doação de órgãos, haja vista que o sistema enfrenta dificuldades como a carência de capacitação profissional para realização de transplantes e a precarização das estruturas hospitalares que, somadas, levam à desconfiança da sociedade no sistema público. Assim, nota-se a ineficácia do Ministério da Saúde em metodizar esse procedimento, fazendo-o estagnar.
     Convém citar que a Constituição Federal prevê o direito à vida, instituindo a legalidade em remover partes do corpo para fins de transplante desde que a doação seja ratificada pelo doador ou pela família. Desse modo, é indubitável que o maior dilema é a falta de orientação para que os familiares possam efetivar a doação num momento de fragilidade. 
     Portanto, a fim de atenuar as dificuldades envolvidas na doação de órgãos, cabe ao Poder Executivo exigir que seja constatada na Carteira de Trabalho e Previdência Social a vontade do indivíduo em doar seus órgãos, já que na realização do documento a pessoa terá idade suficiente para expressar seu desejo pessoal. Outrossim, o Ministério da Saúde deve metodizar o procedimento de transplantes oferecendo cursos de capacitação profissional aos médicos no intuito de agilizar a realização deste. Dessarte, com avanços, a sociedade voltará a confiar no sistema público e a doação de órgãos ocorrerá de maneira humanizada.