Envie sua redação para correção
    Com o avanço da medicina, diversas doenças ou operações que antes acometiam vários pacientes, hoje são feitas com praticidade, com o apoio de doadores sanguíneos e de órgãos. No Brasil, a maioria dos hospitais ainda sofrem com a alta demanda e doações abaixo do esperado, ocorrendo filas e riscos para pacientes que necessitam com urgência.
        O preconceito velado de muitos cidadãos colocam em risco os estoques hospitalares de sangue e as futuras doações de órgãos. O receio de doar e contrair determinada doença é um dos principais motivos que levam os cidadãos a se recusarem a doar sangue. Muitas religiões incentivam contra, pregando para seus fiéis que é errado e que apenas a santidade de sua religião pode salvar, levando potenciais doadores e receptores a ignorância sobre a importância do ato. Os doadores espontâneos - aqueles que doam independente do destino - e os motivacionais - doam para um familiar ou conhecido - são os que fazem a diferença e os auxiliadores na busca por outras pessoas.
        A precariedade brasileira não está no produto final - possui notável padrão de qualidade nos hospitais - mas sim, no começo da cadeia, na quebra de paradigmas históricos e ignorantes - quem doa uma vez, terá de doar sempre. O Brasil não prepara desde a infância possíveis doadores, não retrata a importância em dizer para a família que é um doador, onde mesmo havendo a dor da perda, poderá haver um gesto humano, podendo salvar inúmeras vidas. Aumentando, de maneira considerável a busca de mais ajuda para a sociedade.
        Em virtude disso, cartilhas que exponham os prós da doação, com relatos de pessoas vindas de tal auxílio, espalhadas nos ônibus, metrôs e colados em estabelecimentos comerciais, aumentam o público alvo. Nas escolas, o incentivo através de brincadeiras pedagógicas onde mostrem o que é e cada etapa do processo Além de agentes de saúde que passem periodicamente nos bairros levando informações junto com pessoas que doaram ou receberam. Dessa forma, a longo prazo, o Brasil pode conscientizar a população e salvar milhões de vidas.