Envie sua redação para correção
    Muito se discute no país, a respeito da doação de órgãos, sobretudo os percalços para que a concessão de córneas, coração, pulmões e afins sejam cada vez mais notórios no Brasil. Em suma, todo paciente que teve morte encefálica é um potencial doador, entretanto, como na maioria dos casos, a enorme burocracia em torno da decisão da família devido, principalmente, a desconfiança, muitas vezes associada ao trafico de órgãos, alem das filas de espera estarem em constante aumento em contrapartida da oferta de órgãos, dificulta na doação e no equilíbrio na oferta e demanda de órgãos no território brasileiro.  
         Historicamente, o trafico de órgãos é frequentemente abordado em filmes e novelas brasileiras, como no folhetim 'Salve Jorge', transmitido pela emissora Globo em 2012. O roubo ilegal de órgãos é extremamente lucrativo e prejudicial na vida real mas, como em qualquer trama, a atividade foi retratada de forma generalizada e sensacionalista, podendo ter influenciado, muitas famílias brasileiras, negativamente em torno da doação de órgãos. Aliado a isso, a morte de duas brasileiras, em passagem pela Venezuela, no ano de 2015, para uma cirurgia estética, que tiveram pulmões e coração(de ambas) retirados sem o consentimento da família, dificulta ainda mais a familiarização do brasileiro com essa importante doação.
           Ademais, o envelhecimento da população e o habito alimentar cada vez mais prejudicial a saúde do brasileiro, faz com que a demanda na espera para o recebimento de órgãos esteja, constantemente maior que a oferta disponível. De certo, mesmo com o pequeno crescimento, segundo o ABTO( 3% maior de 2013 a 2015), é fundamental que o incentivo à praticas de exercícios físicos e uma alimentação saudável, além de um intenso melhoramento do sistema de saúde publica e previdenciária, para dar auxilio e acompanhar o progressivo avanço da expectativa de vida do brasileiro, seja demandas de extremar urgência para serem realizadas.
         Nesse sentido, é importante que o governo torne a doação de órgãos uma temática inserida no cotidiano do brasileiro desde de muito cedo. Por isso,é importante que Estado juntamente com a escola, em um novo modelo de educação mais atualizado, crie debates e informe os alunos, em aulas didáticas, sobre os benefícios da doação de órgãos apos a morte de um ente querido. Alem do governo, como dito acima, melhorar o sistema de saúde e previdenciário brasileiro, que atualmente se encontra em continua decadência. Junto à isso, através das principais meios de comunicação, intensificar campanhas publicitárias, na TV e internet, a importância da concessão de córneas, pulmões e outros órgãos ao milhares de brasileiros.