Dilemas da doação de órgãos

Envie sua redação para correção
    Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil registrou o maior número de doadores efetivos de órgãos da história: foram 2983 doadores em 2015. Porém esses números são pequenos se levada em conta à fila de espera por transplante no país.                                                                                         Nesse contexto, o coordenador da comissão de remoção de órgãos, José Lima afirma que apesar do aumento nas taxas de doações nos últimos anos, esta ainda é baixa para um país considerado avançado nesta questão, pois o Brasil possui o maior programa público de transplantes do mundo, que é feito pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Ainda assim, países como os EUA chegam a registrar índices de 30 doações por milhão, enquanto o Brasil não atinge a metade desse número.                                        Só para ilustrar, no Brasil 44% das famílias não permitem a doação de órgãos dos seus entes por conta dos dogmas religiosos que fazem estes acharem que o corpo deve continuar inviolado após a morte. Além disso, muitas pessoas não sabem que órgãos como o fígado, por exemplo, podem ser doados ainda em vida. Em alguns transplantes pode-se tirar até 65% do fígado que, com o tempo, ele crescerá e voltará ao seu tamanho normal. Com isso, nota-se que há carências em campanhas sobre o assunto no país, pois , casos de repercussão na mídia ajudam a aumentar os índices de doações, a exemplo: o assassinato de Eloá em São Paulo, que devido à família ter declarado à mídia que doaria os órgãos desta, as doações aumentaram 90%, além de gerar uma discussão nacional.                   Desse modo, fica evidente que o Ministério da Saúde deve esclarecer o assunto para a população. Logo, por meio de campanhas midiáticas, outdoors e debates nas escolas e em postos de saúde , este deve mostrar as pessoas a importância da doação de órgãos para salvar vidas. Somando-se a mudanças na lei para que as pessoas possam manifestar em vida o desejo de doar ou não seus órgãos. Em suma, como já dizia o escritor Orison Swett " Uma vela nada perde quando, com sua chama , acende uma outra que está apagada."