Envie sua redação para correção
    É notório que a saúde pública no Brasil tem sido um setor precário. Salienta-se, que as desmedidas filas em hospitais e pronto-atendimentos, vem sendo um dos principais problemas do século XXI. Ademais, a população requer a saúde de qualidade, por ser um direito do cidadão, segundo a Constituição Federal. 
          A problemática da saúde não é um problema atual, sendo marcada na época de Brasil Colônia, em que cada indivíduo tinha a obrigação de cuidar de si, sem o auxílio da medicina. Nesse sentido, identifica-se com o mundo contemporâneo, no qual a população não usufrui dos seus direitos, devido à falta de médicos e as longas filas em hospitais. 
        Além disso, em 2010, o Brasil gastou 10,7% de seu orçamento público, quase 5% a menos que a média mundial. Ademais, o governo para conter os gastos, subtraíram a distribuição de medicamentos, ocasionando a morte de muitas pessoas, majoritariamente, a população mais carente.  Nesse sentido, segundo a teoria Darwiniana, apenas os seres mais fortes sobrevivem, por isso, nessa engrenagem capitalista, os seres mais pobres são mais fragilizados. 
          Portanto, diante dessa totalidade de problemas, a população em parceria com meios midiáticos, devem promover campanhas de conscientização, a fim de criarem programas, bem como, “Mais Médicos”, para que a as regiões mais carentes não sejam prejudicadas. Além disso, o governo deve utilizar as verbas destinadas a essa área, para ampliar o número de leitos em hospitais e equipar corretamente estes locais. Desse modo, sendo uma forma de enunciar a necessidade para mudanças na saúde pública.