Dilemas da doação de órgãos

Envie sua redação para correção
    A biologia nos mostra com Darwin que nem sempre é o mais forte que sobrevive, mas aquele que melhor adapta-se as novas situações.No que se refere aos dilemas da doação de órgãos, é possível afirmar que existem mais empecilhos do que incentivos para tornar-se um doador. Isso se evidencia não só por um desestímulo por parte da sociedade,mas também pela falta de ações públicas neste campo.
         É inegável que o ato de doar um órgão promove uma série de benefícios tanto para o receptor,como para quem está a sua volta, porém algumas pessoas pensam de forma diferente sobre esta temática.A população especula diversos mitos sobre este assunto,tais como: em caso do indivíduo se acidentar não cuidarão direito dele para ceder os órgãos à outros,a questão da estética do corpo na hora do enterro e a superstição de que irá morrer mais rápido; são algumas das crenças populares que contribuem para desestimular um possível doador.Por isso,é de extrema importância a veiculação de informações oficiais que eliminem essas ideias,contudo este tipo de debate ainda não foi feito.
        Além disso,o governo não se mobiliza na causa do porque as pessoas não quererem ser doadoras,e sim no fato de não haver doação suficiente para atender a demanda.Com isso, as campanhas são voltadas mais para este segundo enfoque ou são provindas de iniciativas particulares,como a do ,empresário Chiquinho Scarpa, que enterrou um carro caríssimo,aludindo as pessoas que não são doadoras e enterram consigo seu bem precioso: os órgãos.Logo uma diligência maior por parte do governo traria um número mais expressivo de candidatos a doação,e o foco nas famílias facilitariam a entrada da mensagem, por serem as principais responsáveis pelo destino daquele ser.
         Fica claro que, cada um desses indivíduos são impossibilitados de terem a chance de adaptar-se ao meio conforme explica a seleção natural,pois necessitam ter as ferramentas corretas para o seu funcionamento.Portanto, a fim de aumentar o quantitativo de doadores ,deve-se com o ministério da cultura e saúde promover ações globais e propagandas que desmistifiquem os mitos populares acerca deste tema.No qual colaboraria para a desvinculação de saberes errados e aumentar os transplantes salvando vidas.