Envie sua redação para correção
    Dentre os costumes cultivados pela humanidade durante toda sua trajetória, a doação de órgãos é sem dúvidas, uma das mais marcantes. Sabe-se que o Brasil é referência mundial no que se refere a este tema. Com isso, é evidente que esse gesto é de imensa significatividade e solidariedade, todavia é preciso enfrentar alguns obstáculos para que aconteça essa doação tão relevante.
      Dessa forma, cabe ressaltar que o maior entrave da doação de órgãos é a recusa familiar. Na maioria das vezes isso acontece devido a falta informações consistentes, pois as famílias pensam em um fator subjetivo relacionado a morte. É válido mencionar também que não existe malefícios para que isso aconteça, uma vez que salvar vidas é uma prática inexplicável.
      Segundo especialistas da internet pessoas mais esclarecidas tendem a doar mais órgãos. Assim, torna-se visível que a falta de informação é o empecilho para doação. Todavia, em 2017 o Brasil aumentou 15,7% o número de transplante se comparar em 2016, e de acordo com o médio nefrologista Roberto Manfro esse índice poderia ter sido mais satisfatório.
      Outrossim, a falta de infraestrutura também é um problema para os doadores. Essa precariedade acaba afetando diretamente as pessoas que necessitam de transplante, pois há muitos casos onde o indivíduo deseja doar e não consegue ser aceito como doador devido a falta de aparelhos para realizar exames.
      Dessarte, é perceptível que a doação de órgãos no Brasil ainda é um grande transtorno. Portanto, é primordial que o poder público invista em infraestrutura básica em hospitais públicos nas regiões onde mais necessitam, para que assim seja realizado a doação. Ademais, é essencial que a mídia promova propagandas e distribua panfletos para a população passando todas as informações corretas e necessárias tirando todos os mitos e boatos sobre esse assunto. Assim, o número de doadores aumentará no Brasil e muitas vidas será salva por um gesto tão bonito e solidário.