Dilemas da doação de órgãos

Envie sua redação para correção
    O processo de doação de órgãos é definido como um conjunto de ações e procedimentos que consegue transformar um potencial doador em concessor efetivo. Neste contexto, o Brasil é hodiernamente, o país que dispõe do maior programa público de transplantes do mundo. No entanto, o índice de contribuições poderia ser bem mais satisfatório caso a população estivesse mais informada sobre as doações, e se houvesse uma distribuição igualitária de equipes especializadas em transplantes no país.     Em consequência dos problemas citados, um levantamento realizado pela Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos(ABTO), revelou que 47% das famílias se recusaram a doar órgãos de parentes com morte cerebral em 2015. Esse fato refletiu na morte de 2,3 mil pessoas que aguardavam na fila de espera de transplantes do país. Fila que atualmente, já conta com mais de 35 mil indivíduos, e que constitui um impasse no bom funcionamento do sistema de doações. Entretanto, esse empecilho ainda pode ser anulado com a consolidação de uma cultura doadora no Brasil. Mas para tanto, é imprescindível o entendimento por parte da sociedade de que o ato de conceder órgãos é essencial para salvar vidas.
        Outro fator que tem dificultado o sistema de doações no Brasil é a má distribuição de equipes transplantistas no país. Há uma maior concentração desse tipo de mão de obra no Sul e Sudeste, devido à notoriedade econômico dessas regiões. Em outros Estados, as equipes estão escassas, pois o destaque econômico é inferior. Realidade que torna o processo de contribuições um desafio, e revela a urgente necessidade de mudanças no sistema de concessões do país.
        Logo, para que o sistema de doações de órgãos deixe de ser um dilema no Brasil, é indispensável que o Ministério da Educação, através de professores especializados crie uma nova  disciplina,para universitários e alunos do ensino médio, intitulada:¨Doação de vidas¨ que apresente o que é a contribuição de órgãos e sua importância; cabe também  ao Ministério da Saúde distribuir, com a ajuda de fiscais, igualitariamente as equipes.