Envie sua redação para correção
    Desde do Iluminismo, entende-se que uma sociedade só progride quando um se mobiliza com o problema do outro. No entanto, quando o assunto é a doação de órgãos no Brasil, muitas vezes, essa mobilidade não é vista, assim constatando esse ideal iluminista apenas na teoria. Nesse contexto, deve-se analisar a falta de conhecimento em relação a essa prática e, também, um sistema adequado para realizar os devidos procedimentos.
      Nesse seguimento, deve ser ressaltado o pouco conhecimento da população sobre a doação de órgãos. Desse modo, segundo o escritor Gilberto Freyre, "Sem um fim social o saber será uma futilidade", de maneira análoga, é possível perceber, que a falta de conhecimento é um fator que torna essa problemática social ampla. Todavia, o Ministério da Saúde, afirma que o números de transplantes realizados cresceu cerca de 64% nos últimos anos. Dessa forma, com uma sociedade mais conhecedora e mais conscientizada acerca do assunto esse número tem a tendência de aumentar.
      Ademais, atrelado ausência de conhecimento da doação de órgãos, o sistema inadequado para realização dos procedimentos é um impulsionador desse impasse. Nesse sentido, é idubitável que um sistema adequado para realização dos processos da doação até o transplante requer alguns requisitos como, por exemplo, rápidez, equipamentos essênciais e, também, tecnologias que possibilite mais êxitos nos procedimentos.  Assim sendo,  unificando um sistema adequado para realizações de doações e transplantes no pais.
      Urge, portanto, que mediante os fatos expostos, medidas devem ser tomadas, a fim de melhorar o atual panorama de doações de órgãos no Brasil. Destarte, o Ministério da Saúde, em parceira com o Ministério da Educação, deve instituir na escolas palestras e grupos de debates para os jovens e seus responsáveis ministradas por médicos e psicólogos, com intuito de informar a importância da doação de órgãos e, também, esclarecer dúvidas em relação aos procedimentos feitos, assim promovendo um maior difusão do conhecimento a respeito da dessa prática. Além disso, o Ministério da Saúde, juntamente com o Governo Federal, deve investir em melhorias no SUS ( Sistema Único de Saúde), com objetivo de otimizar os procedimento em função do transporte dos órgãos doados tendo rápidez e equipamentos para realizá-los da melhor forma, bem como,  ir em busca de novas tecnologias para que esses processos seja feito com mais eficácia e agilidade. Dessa maneira, colocando em prática as ideais iluministas que era apenas conhecido na teoria, e proporcionando um aumento no números de doação e transplantes realizados no Brasil.