Enviada em: 23/06/2018

A Lei Seca, implantada no Brasil em 2008, representa a vitória da sociedade civil sobre a inconsciência generalizada, vigente em períodos anteriores. Após a promulgação desta lei a população se tornou mais consciente, os índices falam por si próprios, analises realizadas revelam que os acidentes diminuíram na ordem de 27% após poucos meses e a média de vitimas fatais decaiu 6,2%. Chocante, no bom sentido, é o efeito que uma simples medida pode causar em tão pouco tempo, o que demonstra a força estatal para alertar e educar o povo brasileiro.      Indubitável, no passado, era a imprudência dos cidadãos da terra “brazuca”. O povo desse país revela historicamente a necessidade de ser guiado, do contrario cai em desolação. Milhares de motoristas, ha alguns anos, embriagavam-se e iam risonhos para seus veículos, depois seguiam em caixões para o cemitério e não raro eram às vezes em que inocentes pagavam com a vida está imprudência.     Contudo, hoje, tal ignomínia já não mais se observa com frequência sobre as pessoas do Brasil. O Estado tomou as rédeas para guiar suas “crianças”, educou-as e as fez trilhar nas veredas da sabedoria, como ensinou o Monarca Salomão. Já não se vê na mídia tantas mortes no transito, a coibição, e as punições dos infratores se tornaram medidas louváveis, essas salvaram e salvam inúmeras vidas todos os dias, seja conscientizando ou punindo motoristas inconsequentes. Revelado, foi que toda população apoia a oficialização da norma, nada menos que 97% são favoráveis ao uso do bafômetro nas fiscalizações, e a gratidão dos hospitais, já lotados, é evidente com a diminuição de 13% no numero de atendimentos.     Portanto, o Estado em parceria com os órgãos de transito deve continuar com engajamento total para minimizar ainda mais os índices de acidentes. Dentre as medidas a serem realizadas está a inclusão de aulas nas escolas, para alertar crianças e adolescentes, futuros motoristas, dos perigos de se dirigir alcoolizado, tais aulas devem ser ministradas pelos analistas do DETRAN (Departamento estadual de transito), em suas localidades estaduais, em conjunto com o Ministério da Educação que fornecerá os recursos materiais e psicopedagógicos necessários para o êxito do programa. Logo, ao conscientizar a futura geração de motoristas e orientar a atual, também coibir e punir os eventuais infratores, resultará em uma maior segurança no transito, algo já comprovado em pesquisas. Desta forma, o transito e o país tornar-se-á um lugar melhor.