Enviada em: 18/09/2017

A educação é um meio de elevar o indivíduo a um nível superior de conhecimento, sendo que isso ocorre, por intermédio do professor que é quem ensina e conduz. No entanto, na contemporaneidade, a ideologia predominante no mundo ocidental é o capitalismo, que prioriza o consumo, a tecnologia e o lucro, colocando em um patamar inferior outras áreas como o ensino. Diante disso, é nítido perceber que no Brasil essa classe de profissionais padece com o descaso, os baixos salários, e dessa forma a educação sofreu um declínio ao longo dos anos, o que prejudica, também, o desenvolvimento do país.      Em primeiro lugar, cabe destacar que o salário dos professores brasileiros está entre os piores do mundo, de acordo com dados apresentados pela Revista Veja, em 2017. Diante disso, fica clara a desvalorização da classe no país, de modo que fazer licenciatura é desanimador para a maioria dos jovens atualmente, já que a remuneração no sistema público de ensino é muito baixa. Isso faz com que a educação fique cada vez mais decadente, visto que devido à desvalorização governamental, a quantidade de profissionais qualificados reduz. Então, isso gera um atraso no país, visto que para haver desenvolvimento, é necessário investir no ensino, principalmente no público, já que o particular se sustenta automaticamente.    Por outro lado, vale ressaltar também, a realidade caótica, principalmente, nas escolas púbicas brasileiras, uma vez que elas possuem uma infraestrutura que não atende as exigências do mundo globalizado. Dessa forma, dificulta a atuação dos docentes, porque não existem computadores e Datashow, por exemplo. Ademais, em certas regiões do Brasil, a situação é tão crítica, pois faltam instrumentos básicos para as aulas, como livros, cadeiras e quadros negros. Dessa forma, isso contribui para a desigualdade social, porque as pessoas que possuem renda investem em escolas caras e qualificadas, enquanto os de baixa renda ficam sem ter acesso a uma educação digna, e assim são marginalizados.      Fica evidente, portanto, que a valorização do professor gera desenvolvimento para o país. Logo, cabe ao Ministério da Educação e Cultura (MEC), em parceria com o Governo Federal, garantir o piso salarial dessa classe de trabalhadores em todo território nacional e criar incentivos financeiros, a fim de valorizar a regência. Isso deve ocorrer por meio da fiscalização, realizada pelo Tribunal de Contas da União, para evitar o desvio da verba direcionada aos docentes. Ademais, a grade curricular das escolas públicas precisa ser atualizada, para atender os vestibulares atuais. Isso necessita ser realizado por intermédio do terceiro setor, de forma que ONGs disponibilizem materiais básicos e tecnológicos para escolas públicas, e também, os ensine a usá-los, a fim de facilitar a atuação dos professores....