Envie sua redação para correção
    Em 2005, ao realizar o feito histórico de se classificar para o Mundial de 2006, o time de futebol do país da Costa do Marfim foi além: conseguiu, através do esporte, unir um país completamente dividido e interromper a guerra civil. Exemplos como esse demonstram a magnitude da influência do mundo esportivo na sociedade, o qual se encontra sucateado na sociedade brasileira. Por isso, torna-se crucial o debate acerca das intempéries que o desporto brasileiro sofre, por falta de investimentos e estímulos pelo governo.
          Em primeira instância, é valido ressaltar que o incentivo à prática desportiva está garantido por lei na Constituição Cidadã de 1988. Além disso, de acordo com o Escritório das Nações Unidas Sobre Drogas e Crime atribui relação direta entre o desenvolvimento de atividades físicas e a diminuição da criminalidade juvenil. No entanto, a insatisfatória quantidade de centros esportivos para atender a demanda populacional, associada à pouca manutenção dos que já existem, permite afirmar que o Estado se encontra omisso de suas obrigações para com o seu povo, e o impossibilita, assim, de exercer a sua cidadania.
    
       Em segunda instância, é necessário reafirmar a importância da atividade física para o desenvolvimento humano, o qual se inicia na infância. Sob essa ótica, de acordo com a Revista Digital EF Desportes, acredita-se que ao trabalhar o esporte escolar, induz-se a conviver, cooperar e a respeitar o próximo, no convívio social, dentro e fora do laço familiar. Todavia, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, em 2017, a cada 10 escolas brasileiras, 6 não possuem quadras para a prática de exercícios físicos. Tendo em vista que em 2016 ocorreram no Brasil os Jogos Olímpicos Mundiais, nota-se o abismo social traduzido na falta de integração entre investimentos direcionados a um evento e a realidade da população.
          Portanto, é imprescindível reverter o cenário atual. Para isso, é necessário que o governo amplie a oferta de experiências esportivas, por meio de construção e manutenção de centros esportivos e academias da cidade, com o objetivo de integrar a população de várias localidades e faixas etárias, e promover seu bem-estar. Ademais, é crucial que Ministério da Educação, em parceria com a Secretaria do Esporte e Lazer, atue nas escolas e forneça estrutura para a realização da educação física, mediante a construção de quadras poliesportivas; além de incentivar a prática, por intermédio de torneios e competições, com o fito de trazer vivências mais completas e abrangentes para a construção da cidadania.