Envie sua redação para correção
    Há registros de que aproximadamente 700 anos a.C., na Grécia Antiga, houve a realização de grandes eventos esportivos com o intuito de promover a integração entre os cidadãos de diversas Cidades-Estado. Essa prática já refletia a importância do esporte como agente primordial para o exercício da cidadania. Com efeito, a construção de uma nação que busca desfrutar dessa integração pressupõe ação conjunta entre indivíduos e poder público.
       Em primeiro plano, o esporte tem um enorme potencial na transmissão de valores e normas para quem o prática. De fato, tal como qualquer atividade com objetivos claros e determinados, a prática esportiva exige ordem, disciplina, paciência, coragem, perseverança, entre outros. Isto é, há uma série de virtudes éticas que são pressupostas no esporte e que por isso mesmo são desenvolvidas naqueles que se põem a praticá-lo. Assim, a prática constante de atividade física desenvolve ainda mais essas habilidades éticas, visto que a virtude, conforme ensinava Aristóteles, não consiste em um ato de bondado isolado, mas sim na prática habitual do bem.
       De outra parte, a falta de acesso à prática de esporte reduz a possibilidade do surgimento de um sentimento pleno em ser cidadão. A República Federativa do Brasil constitui-se como Estado Democrático de Direito e tem como objetivo fundamental construir uma sociedade justa. Todavia, a ausência de investimento em algumas áreas, como por exemplo na construção de quadras poliesportivas, faz com que, principalmente, crianças e jovens sejam privados de oportunidades de ascensão que a prática esportiva pode proporcionar. Assim, tais condições promovem a desigualdade e impedem que esses grupos sociais alcançem direitos teoricamente garantidos nos dias atuais.
       Logo, enquanto a integração social não acontecer, enquanto o desenvolvimento de virtudes não forem buscados, enquanto os direitos dos cidadãos não forem respeitados, a prática de esportes para o alcançe pleno da cidadania continuará sendo um desafio a ser superado. Desse modo, os colégios, tanto públicos quanto particulares, devem criar um projeto denominado Esporte Para Todos em que, semanalmente sejam praticadas modalidades deportivas diversas, sob o comando de profissionais especializados, a fim de formarem cidadãos conscientes de seus direitos e deveres. Ao Governo Federal, por sua vez, em conjunto com o Ministério da Cidadania, cabe traçar um planejamento a nível nacional, com foco em crianças e jovens em formação. Assim, será possível, enfim, garantir a cidadania e promover a integração entre os membros da sociedade.