Esporte e cidadania na sociedade brasileira

Envie sua redação para correção
    De acordo com o conceito biológico de “neurônios-espelho”, células especiais são ativadas no cérebro, o que faz com que um animal ou ser humano reproduzam as atividades que estão observando. Tratando-se da prática de esportes, tais neurônios, quando ativados, atuam de forma atrativa, contribuindo para o engajamento no meio social, sendo uma ferramenta para a integração à cidadania, na sociedade brasileira.
          Em primeira análise, os benefícios do esporte têm ultrapassado os limites do bem-estar, podendo atuar como suporte educacional e social, modificando o comportamento dos indivíduos. Nesse sentido, as atividades esportivas têm sido um fator fundamental para a educação de crianças e jovens e vêm apresentando papéis significativos, como a retirada desses de situações de pobreza e marginalidade, combate à evasão escolar, além de dar-lhes uma nova perspectiva de vida, principalmente para pessoas com baixa renda. Um exemplo disso é a jogadora Marta Vieira, nascida no interior de Alagoas, que, atualmente, já foi eleita pela FIFA, Federação Internacional de Futebol, cinco vezes consecutivas, a melhor jogadora do mundo.
    
          Ademais, apesar da disciplina de educação física ser componente curricular obrigatório da educação básica, de acordo com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), e dessa ter com um dos princípios a valorização da experiência extraescolar, os cortes nos programas de patrocínio ao esporte podem impedir que pessoas de zonas periféricas tenham acesso a essa prática. Diante do quadro de injustiça e exclusão social, fortemente presente na sociedade brasileira, investimentos públicos no segmento esportivo, principalmente implantados na rede pública de ensino, poderia atuar como forma de sociabilização e transmissão de valores. E como exemplo desses benefícios, há o projeto “bom de bola, bom de escola”, desenvolvido na capital do estado do Mato Grosso.
    
          Portanto, diante dos fatos supracitados, é imprescindível que o Poder Legislativo, em parceria com a Associação Suprapartidária, frente parlamentar que discute temas relacionados ao esporte, crie leis que destinem percentuais de verbas específicos a atividades esportivas em zonas periféricas. Essa ação implicará a ampliação do acesso ao esporte, integração à cidadania, inclusão social e redução dos índices de evasão escolar. Além do mais, os indivíduos reproduzirão atividades benéficas à sociedade, decorrente da ativação dos neurônios-espelho, uma vez que observação a prática sendo realizada pelas pessoas ao seu redor.