Envie sua redação para correção
    Na história da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas houve o desenvolvimento de projetos de irrigação nos rios Amu Daria e Sir Daria, os quais abasteciam o quarto maior lago de água doce do mundo (mar de Aral). Vale ressaltar que esse empreendimento causou um dos maiores problemas ambientais e humanitários do século XX (com a secagem do leito de rios e salinização dos solos). Atualmente o Brasil está diante de situação semelhante com relação à transposição do Rio São Francisco.
          De fato, embora o desvio de águas do Velho Chico efetivamente abasteça cerca de 12 milhões de pessoas, proporcionando agricultura de de pequenos proprietários lindeiros, o fato é que esse desvio impede que o haja o natural escoamento do curso d´água. Em reportagem publicada no Universo Online, explicou-se que a captação de água atual já diminuiu o volume que deságua no oceano, fazendo com que este invada espaços continentais. O resultado é a contaminação de mangues, os quais, como se sabe, é um berçário extremamente importante para a reprodução animal.
          Além disso, o programa Bom Dia Brasil, da Rede Globo, informou que os proprietários lindeiros ao sistema de transposição têm utilizado mais água que o limite expedido pela outorga de irrigação; disse também que o solo do nordeste têm a característica de reter sais minerais; e que, combinando-se os dois fatos (irrigação e retenção salina), tem-se visto gradativo processo de empobrecimento do solo pela salinização da terra.
          Portanto, com a finalidade de evitar a lei do eterno retorno de Friederich Nietzsche, é preciso que o Sistema Nacional do Meio Ambiente (através dos seus órgãos, como o IBAMA ou ANA) tenha atuação exemplar na fiscalização da transposição do Rio São Francisco. É necessário, por exemplo, que se faça o monitoramento da água da foz para controlar a captação de água no rio natural, bem como, é preciso instalar medidores de vazão nas bombas de irrigação dos proprietários rancheiros. Desse forma, pode-se conciliar interesses ambientais, sociais e econômicos em um desenvolvimento sustentável.