Impactos da transposição no Rio São Francisco

Envie sua redação para correção
    O Nordeste Brasileiro, onde predomina o clima semi árido, tem a seca como um dos seus maiores problemas, afetando aspectos econômicos e sociais. Uma das medidas mais discutidas, devido a seus impactos positivos e negativos, é a transposição do Rio São Francisco. Tal projeto deve ser concluído, visto que seu objetivo primário é a concessão de um recurso que é essencial, porém falta a muitos: a água, além do fato de que se trata de um problema histórico de nosso país. 
       A Biologia afirma que, a água é um recurso essencial à vida, sem ela não há sobrevivência. Porém, tal recurso tem faltado a muitos habitantes do Nordeste, devido aos longos períodos de seca. A proposta de transposição do Rio São Francisco, impactará positivamente essas pessoas, promovendo a chegada de água que até então se restringia a uma parte dessa região, evitando a grande evasão de nordestinos para outras regiões
       Vale ressaltar também que, a escassez de água - principal motivo do projeto-, é um problema historicamente notável. Os primeiros relatos a respeito dessa problemática são encontrados no reinado de D. Pedro II, onde o mesmo afirmava que venderia bens da coroa para evitar que muitos sofressem com a seca, porém pouco se fez. Pode-se exemplificar esse histórico problema com as crescentes taxas de evasão do nordeste, principalmente no século 20, notavelmente estudado pela Geografia.
       Em suma, conforme supracitado, a transposição deve ser realizada por em prol de um bem maior: promover que a água seja acessível a todos. Logo, visando minimizar os impactos negativos desse processo, cabe ao Governo Federal criar projetos que busquem a revitalização do rio, como o reflorestamento da mata ciliar, reduzindo seu assoreamento. Cabe também ao ministério da ciência e tecnologia em parceria com o setor privado, a criação de zonas de reflorestamento, amenizando os efeitos da transposição, tornando uma obra mais sustentável do ponto de vista ecológico.