Intolerância e discurso de ódio contra minorias

Envie sua redação para correção
    Pandemia Mundial
          Intolerância. Raiva. Ódio. O mundo passa por uma doença cultural que modifica socialmente por meio de palavras e ações o comportamento humano. No Brasil, não obstante disto, a intolerância e o ódio contra minorias sociais só aumentam. É preciso que o Estado brasileiro em conjunto com outras entidades de presença pública se manifestem em direção a sensibilização coletiva da vulnerabilidade social de diferentes grupos relegados historicamente.
          Sentimento de intolerância, raiva e ódio se exprimem nos povo desde os primórdios da humanidade. Tribos guerriavam entre si e colocam em condições sociais subvaloradas seus adversários. No entanto, a abrangência destes sentimentos se restringiam a poucos quilômetros - tratava-se de uma epidemia cultural.
    
       Na hodierna sociedade, a presença da comunicação em massa possibilitou estender tais sentimentos intolerantes a todo o planeta. Segundo o Índice de Progresso Social (IPS) de 2017 o mundo apresentou uma acentuada piora da intolerância social às minorias.Tal situação é agravada ainda mais em alguns países da Europa devido ao elevado número de refugiados, que deixaram seus países de origem devido a guerra, a instabilidade políticas e/ou a perseguição social.
    
          No Brasil, apesar do IPS/17 indicar melhora no índice de intolerância social é possível visualizar elevada instabilidade política e socioeconômica. Discursos de ódio perfizeram campanhas políticas e foram aceitas socialmente sem muito questionar. Assim, faz-se necessário uma nova pesquisa que aponte para um período de análise mais recente dos dados já levantados pelo IPS/17.
    
          Portanto, cabe aos órgãos da administração pública pesquisar a percepção social quanto a intolerância, a raiva e o ódio às minorias. Para além disso, é necessário ações governamentais em parcerias com emissoras de televisão, jornais, sites de comunicação para coibir crimes e incentivar políticas de sensibilização. Por fim, cabe a população respeitar ao próximo e coibir, por meio de conversas, a intolerância e o ódio de modo geral.