Intolerância e discurso de ódio contra minorias

Envie sua redação para correção
    No período da Segunda Guerra Mundial teve-se um evento que matou milhões de judeus, conhecido como holocausto. O discurso de superioridade proferido pelo líder  nazista, Adolf Hitler, fez com que alemães acreditassem na inferioridade de certos grupos minoritários, como judeus, e achavam-se na liberdade de removê-los da sociedade. Atualmente, o discurso de ódio não mata milhões, entretanto, a intolerância contra LGBT, negros, mulheres, entre outros, pode matar milhares e os grandes fatores que influenciam esse problema devem-se ao anonimato na internet e à má influencia para crianças.
      Em primeiro lugar,  o suposto anonimato que existe graças a internet propicia um lugar onde pode-se fazer discursos de ódio contra minorias e sairá  impune deste crime. Tem-se como exemplo o ocorrido da jornalista Maria Júlia Coutinho que recebeu insultos devido à sua etnia preta em uma rede social. Felizmente as devidas providências foram tomadas e os responsáveis tiveram que explicarem-se à Polícia Federal. Entretanto diversos outros casos não tem essa repercussão e nenhuma atitude é tomada mediante  ao acontecido para punir os agressores.
      Ademais, ninguém nasce preconceituoso, torna-se um. Segundo o filósofo Rousseau "O homem nasce bom, a sociedade o corrompe", em vista disso, as crianças são muito influenciável então um discurso de ódio proferido por parentes pode ser determinante para um futuro intolerante. 
      Portanto é mister que o Estado tome providências para melhorar esse problema social. Para que discursos de ódio no suposto anonimato possa ser minimizado, urge que o governo faça campanhas de conscientização por meio da mídia e puna os responsáveis através da denúncia das vítimas. Concomitantemente, a família precisa agir conscientemente evitando discursos de ódio contra minorias para que todos assim sejam respeitados por suas diferenças e não influencie negativamente nenhuma criança, assim, erradicar finalmente a intolerância contra minorias e consequentemente um mundo mais tolerante.