Intolerância e discurso de ódio contra minorias

Envie sua redação para correção
    O filme espanhol "Pieles", do diretor Eduardo Casanova, retrata uma sociedade que provoca demasiado preconceito e intolerância contra uma minoria de pessoas que  possuem deformidades corporais severas. Nesse sentido, a narrativa retrata o sofrimento de tais minorias ao saírem de casa sem serem ridicularizadas pela população. Fora da ficção, é fato que a realidade pode ser relacionada com o mundo criado por Eduardo Casanova: A sociedade brasileira ainda nutre demasiada intolerância contra as minorias existentes no país, motivada, principalmente, pela falta de informação e empatia com o outro.
     Nesse contexto, é importante destacar que, a sociedade brasileira ainda é patriarcal, machista e eurocêntrica, devido, principalmente, a falta de conhecimento e informação sobre as vivências e dificuldades das minorias, vista por esta população intolerante como "vitimistas". De acordo com a socióloga Simone de Beauvoir, a sociedade tende a julgar e fornecer um pré-conceito de algo que não conhece, principalmente, por terem medo de admitir que estão errados. Dessa forma, observa-se o crescente preconceito contra gays, mulheres, negros e deficientes, alimentados por um julgamento de teor religioso, machista e  xenofóbico.
      Por conseguinte, presencia-se nas minorais que sofrem os discursos de ódio diversos problemas sociais, como depressão, síndrome do pânico, dismorfia corporal e até tentativas de suicídios, visto que os mesmos se sentem desamparados na sociedade atual, seja pela sociedade, seja até mesmo pela família. Tal fato foi observado nos Estados Unidos, com a  morte do menino Jamel Myles, de 9 anos, que tirou sua vida após diversos ataques de cunho homofóbicos sofridos na escola. Paralelamente, isso nos remete ao que o sociólogo Zygmut Bauman retratou em sua tese  modernidade liquida, em as relações estão cada vez mais efêmeras, ou seja, as pessoas na sociedade moderna  não possuem uma empatia com os problemas e dificuldades do próximo. 
      Infere-se, portanto, que o debate sobre discurso de ódio e intolerância na sociedade brasileira atual é de suma importância. Sendo assim, urge que o Ministério da Educação em conjunto com a mídia engajada crie, por meio de verbas governamentais, campanhas nas redes sociais e na televisão, com  a finalidade não só de exemplificar as diversas minorias existentes no Brasil, como também retratar para a população os problemas existentes ao se praticar um discurso de ódio contra as mesmas. Tais campanhas forneceriam dados estatísticos e conversas com influenciadores digitais para atrair o público mais jovem. Somente assim, será possível estourar a bolha de intolerância presente na sociedade atual, e dessa forma, se distanciar da sociedade intolerante retratada no filme Pieles.