Intolerância e discurso de ódio contra minorias

Envie sua redação para correção
    As minorias são compostas por indivíduos que, em determinado contexto social, enxergam desvantagens e injustiças, e com isso, a união destes é necessária para que enfrentem e lutem pela igualdade de direitos, para visar uma justiça social. Com forte militância na política, as minorias nos dias de hoje recebem cada vez mais holofotes, por parte da sociedade, assim como por ações governamentais. 
    
          Embora o objetivo seja defender interesses de um restrito grupo, para exigir melhores condições em determinado aspecto, algumas vezes, é necessário por em cheque privilégios de outros grupos sociais, o que faz com que muitos se sintam atacados com a reivindicação de direitos destas minorias, e com isso, surgem os grupos de oposição e a tentativa de repressão por meio de discursos de ódio. 
           Apesar de que algumas minorias tenham notável destaque, e que representem importante pauta para muitos, ainda existem outras que são diariamente discriminadas por parte da intolerância da sociedade, o que evidencia a necessidade da existência da luta por garantia de respeito e inserção na sociedade, para evitar a marginalização e com isso, ter maior índice de inclusão. 
          Do ponto de vista social, a intolerância é descrita como a não aceitação de divergentes opiniões ou pontos de vistas, de modo que negue a pluralidade e diversidade dos indivíduos, por meio de um impulso instintivo de submeter a todos um mesmo padrão pré-estabelecido culturalmente. Exemplifica-se isso com o massacre dos cristãos em países majoritariamente muçulmanos, fruto da intolerância religiosa. Embora em contextos menos bárbaros, a intolerância ainda é muito presente no Brasil. 
          Ao mesmo tempo em que as pautas das minorias ganham cada vez mais popularidade e maior adesão social, a oposição também se fortalece, na tentativa de barrar os aspectos que vão de conflito a seus interesses. Esta situação pode causar violentos conflitos civis, que acabam por prejudicar muitas pessoas em razão da violência com que as discussões são conduzidas. As agressões são inimigas da boa conduta do acordo e diálogo, que pode propor soluções que convenham a todos.
          Para que se tenha a tal justiça social e reivindicação de direitos sem a violenta repressão, é necessário que a legislação seja posta em prática, pois a Constituição Federal preconiza em seu artigo 3º que um dos objetivos do país é promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação. Cabe a cada indivíduo da sociedade o dever de denunciar os casos de intolerância que tem em seu conhecimento, a fim de que o bem-estar seja promovido a todos. Após a denúncia, caso o papel do governo não cumpra seu papel de fazer cumprir-se a lei, os interessados no bem-estar social devem realizar pressão popular como último recurso.