Lixo e cidadania: “Pensar globalmente, agir localmente”.

Envie sua redação para correção
    O documentário "Ilha das Flores", disponível no YouTube, retrata a realidade de um lixão brasileiro e seus diversos problemas sociais. A quantidade de dejetos mostrada nas filmagens, entretanto, não é algo pontual, mas sim um problema recorrente em todo planeta. Fatores de caráter cultural e educacional são as principais causas dessas problemática na contemporaneidade.
        É importante pontuar, de início, o reflexo do consumismo na sociedade. Karl Marx denomina "fetichismo da mercadoria" como uma das estratégias do sistema capitalista para fomentar o consumo, que consiste na atribuição de um senso de necessidade aos produtos que não são de primeira ordem. Ainda, tem-se a obsolência programada como um outro fator responsável pelo aumento do descarte de objetos. Assim, tem-se uma realidade em que o volume de lixo supera a capacidade natural de assimilação do meio ambiente. 
        Ademais, tem-se a falta de uma participação ativa da escola nessa discussão. À guisa de Kant, o ser humano é aquilo que a educação faz dele, e é latente a falta de engajamento dessa instituição nas questões sociais locais. Desse modo, tem-se a formação de cidadãos que que não se preocupam com questões como: reciclagem, preservação e reutilização, o que corrobora para o agravamento da questão do lixo em ordem global.
        É inegável, portanto, a relevância de fatores culturais e educacionais para a problemática supracitada. A partir disso, é importante que o Estado, por meio dos seus órgãos responsáveis, se junte às ONGs e crie um projeto de educação voltado para os jovens. A ideia é instituir a matéria Cidadania na grade curricular, que consista no desenvolvimento de projetos de atuação em bairros pré-determinados. Tal medida deve contar com projetos de reciclagem, aulas de conscientização para população local, plantio de árvores, entre outros. A finalidade dessa proposta é estimular a formação de uma geração mais preocupada com o meio ambiente e que consiga fazer a diferença em seus respectivos ciclos sociais.