Lixo e cidadania: “Pensar globalmente, agir localmente”.

Envie sua redação para correção
    Segundo o filósofo Paulo Freire, se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda. Nesse contexto, quando se observa o acúmulo de dejetos na realidade brasileira, constata-se que isso está ligado intrinsecamente à realidade do país, seja pela ausência de um tratamento adequado de lixo, seja pela falta de conscientização da população. 
         Conforme o Diário do Nordeste, há resíduos aglomerados em vários pontos da capital cearense, ocasionado pela falta de coleta, exemplificando a ausência de um tratamento adequado de dejeto, não só presente em Fortaleza, mas também em diversas cidades do Brasil, visto que o Índice de Sustentabilidade da Limpeza Urbana indica que 24% dos domicílios brasileiros não contam com recolhimento de lixo. 
        Somado a isso, a falta de conscientização da população contribui decisivamente para essa persistência, diante do descarte inadequado de lixo e a falta de reciclagem,  por parte da sociedade brasileira, de acordo com a Revista Galileu, o índice nacional de reciclagem é de apenas 3,7%. 
         Visto isso, faz-se necessária a reversão de tal contexto. Para isso, é preciso que o Poder Público promova palestras em locais públicos nas cidades brasileiras a fim de conscientizar e orientar a população sobre o descarte correto do lixo e a prática da reciclagem. Aliado a isso, é preciso que o governo disponibilize pelas ruas, pontos de coleta de dejetos a fim de facilitar a eliminação dos resíduos corretamente pela sociedade.