Envie sua redação para correção
    É inegável que o lixo sólido está se tornando um problema cada vez mais grave na sociedade. Isso porque o aumento populacional e o intenso consumismo refletem diretamente na produção de lixo, causando problemas na saúde e no meio ambiente.
     O ser humano consume para suprir suas necessidades básicas, como por exemplo, alimentação e saúde. Entretanto, em uma sociedade capitalista, o consumo se baseia, na maior parte das vezes, nas tendências e no que está na moda. As pessoas têm buscado cada vez mais suprir necessidades supérfluas, e não apenas as essenciais, aumentando o descarte de produtos devido à vontade de ter algo novo, mesmo que não seja realmente necessário. Nesse contexto, o crescimento populacional afeta diretamente o aumento do consumo e, consequentemente, do lixo descartado. 
     Cerca de 10% desse lixo é jogado em locais impróprios, como terrenos baldios, córregos, lagos e praças, se tornando um grande problema. Isso porque o lixo nas ruas pode se acumular no esgoto, impedir a entrada de água nos bueiros causando inundação no período de chuva. A outra porcentagem do lixo descartada é destinada a aterros sanitários e lixões. Nos lixões, os resíduos são lançados diretamente ao solo e a céu aberto, favorecendo a proliferação de vetores de doenças e poluindo o solo e o lençol freático através da produção de chorume.
     Diante desse cenário, percebe-se que a produção desordenada de lixo e o seu depósito inadequado constituem um grave problema tanto no âmbito ambiental quanto na saúde. Dessa forma, mostram-se imprescindíveis medidas públicas visando melhorar a coleta de lixo e o seu respectivo armazenamento. Além disso, é essencial o incentivo da prática da reciclagem e da reutilização por parte da população. Isso pode ser feito, principalmente, com o auxilio da mídia com o objetivo de alcançar um maior número de pessoas. Outra medida importante é no âmbito escolar. A discussão sobre o lixo deve ser trabalhada nas escolas desde as fases mais incipientes, para formar cidadãos éticos, responsáveis e zelosos com o meio em que vivem.