Lixo e cidadania: “Pensar globalmente, agir localmente”.

Envie sua redação para correção
    A questão do excesso de lixo gerado pelo ser humano não é um problema atual.Desde a revolução industrial, o homem tem poluído o meio ambiente com uma enorme quantidade de lixo e como um cidadão que se preocupa como futuro do planeta, o ser humano, tem feito pouco para reverter essa situação.Começando pelo Brasil, percebe- se que é necessário buscar meios para o controle do lixo gerado nesta nação. 
        Na era vargas , os brasileiros desfrutava do progresso industrial,porém esse avanço estava gerando quantidades absurdas de resíduos.Nos dias atuais, cerca de trinta por cento dos lixos são embalagens de produtos industrializados e metade de restos de alimentos, segundo dados da ABRELPE.
         Além disso, a falta de consciência da população e do governo para a questão do excesso de lixo e futuro do planeta é preocupante.Muitos cidadãos não fazem ideia que mais de oitenta por cento do lixo pode ser reciclado.Como também, o governo não incentiva as pessoas, as boas práticas da reciclagem e o quanto esse lixo é prejudicial a todos habitantes da planeta terra.
         Portanto, medidas são necessárias para resolver o impasse.O ministério das comunicações, em parceria com o MEC, pode criar um programa para incentivar os brasileiros, a prática da compostagem,da reciclagem do papel,plástico,metal,madeira,vidro,sucata eletrônica entre outros.È interessante que as prefeituras invistam na coleta seletiva,tendo também a parceria de empresas terceirizadas para coletar lixos especiais,como é o caso da sucata eletrônica.A população , por sua vez deve fazer a sua parte reciclando.De modo que, realizando essas atividades vamos contribuir para um País melhor que da o exemplo de verdadeira cidadania para o mundo.