Lixo e cidadania: “Pensar globalmente, agir localmente”.

Envie sua redação para correção
    FIZ OUTRO TEMA, pode corrigir? tema: A QUESTÃO DO LIXO NA SOCIEDADE DO CONSUMO.
                                                                       Inédito viável 
         De acordo com Émile Durkheim, a sociedade é como um corpo biológico, no qual cada órgão tem sua função. Dessa forma, para que o corpo funcione adequadamente, é necessário que todos cumpram seus devidos papéis. Diante disso, quais atitudes, em conjunto, devem ser tomadas para amenizar o impasse da questão do lixo na sociedade do consumo?
         Em primeiro plano, deve-se entender os motivos que resultaram na grave situação atual, na qual é produzido um quilo de lixo por pessoa, diariamente, o que causa superlotação e descartes indevidos. Isso ocorre, desde o surgimento da política do consumismo, adquirida pelo capitalismo e intensificada pela mídia. A última, faz propagandas que buscam alcançar todos os públicos e mostra que a pessoa precisa consumir, isso causa o desejo desenfreado de ter aqueles objetos, mesmo que o indivíduo não necessite deles. Consequentemente, com o consumo exagerado, há também a produção elevada de lixo, o que causa inúmeros desastres ambientais. Exemplo disso, é a criação de lixões improvisados por falta de locais apropriados para a quantidade de resíduos descartáveis.
         Outro aspecto de suma relevância é ter ciência que, atualmente, o mundo é movido por inovações tecnológicas e pelo consumo excessivo. Diante disso, o descarte de lixo eletrônico aumenta exponencialmente e de forma indevida, o qual causa a contaminação do solo e da água, por metais pesados usados em sua composição, isso acarreta malefícios à vida marinha, consequentemente, à população. Hoje, um aparelho eletrônico não é descartado por que não está funcionando, o motivo principal é que está ultrapassado. Dessa forma, o ato de descartar aumenta, porém os indivíduos não sabem onde depositar esses objetos, pois não há um auxílio dizendo como descartar corretamente.
         Entende-se, diante do exposto, a real necessidade de ações para amenizar o impasse do lixo na sociedade do consumo. Quanto a isso, a mídia pode fazer campanhas publicitárias em prol do consumo consciente, sobre os "5R: reciclar,  recusar, reduzir, reutilizar, repensar" e divulgar os locais de descarte eletrônico. Outrossim, os aparelhos eletrônicos podem ser feitos com materiais que possam ser reaproveitados e reciclados futuramente, além da construção de locais apropriados para esse descarte e de outros adequados para o armazenamento do lixo cotidiano, pela Prefeitura, com o dinheiro das parcerias público-privadas. A prefeitura, pode fazer também, hortas comunitárias nos bairros para que o lixo orgânico seja usado como adubo. Dessa forma, o Brasil caminhará para um país que pensa globalmente e age localmente, a fim de alcançar um futuro, como dizia Paulo freire, inédito viável.