Lixo e cidadania: “Pensar globalmente, agir localmente”.

Envie sua redação para correção
    A Revolução Industrial e o sistema capitalista impulsionaram a produção em massa e o consumismo. Elementos que contribuem com a geração de toneladas de lixo, o qual frequentemente tem como destino os rios, mares e bueiros. Nessa conjuntura, cabe pautar como a falta de educação da sociedade e a falta de iniciativa dos municípios corroboram a situação. 
         Apesar das consequências de se descartar lixo em lugares inadequados serem divulgados pela mídia e Escola, é grande o número de indivíduos que continua a fazê-lo. Não é difícil presenciar uma pessoa jogando papel no chão, mesmo sendo de conhecimento comum que tal ação contribui para o entupimento de bueiros e, por consequência, provoca alagamentos. Contudo, a falta de pensamento coletivo de como suas ações afetam não só ela mesma, mas os outros também, a ausência de preocupação com o espaço em que se está vivendo e com o meio ambiente, ainda faz parte da cultura do brasileiro. 
           Além disso, vale ressaltar que muito do montante do lixo que poderia ser reciclado, não está sendo. A falta de locais para se descartar tanto lixo, principalmente em centros urbanos, poderia ser resolvida não buscando novos locais, mais diminuindo a quantidade de lixo. Cerca de 80% dos brasileiros não têm acesso à coleta seletiva, como aponta uma pesquisa divulgada pera revista eletrônica Época, em 2016. Isso diminui a possibilidade de reciclagem, mesmo se grande parte dos cidadãos estivesse disposta a colaborar separando os resíduos de materiais diferentes.
          Depreende-se, portanto, que medidas para atenuar a problemática precisam de ser tomadas. Cabe aos municípios ampliar a fiscalização e elaborar medidas punitivas mais eficazes, para leis que já existem e multam as pessoas que descartem lixo em lugares inadequados. Uma alternativa seria determinar que o infrator contribuísse com a comunidade participando obrigatoriamente de mutirões que recolham lixos em lugares irregulares para que aprenda, na prática, a importância de se jogar lixo em lixeiras. Ademais o Governo Estadual, em parceria com os municípios, deve estimular a criação de cooperativas de reciclagem em cada bairro, em todo o território nacional, concedendo benefícios como custo de terrenos a menor preço e o financiamento de parte do maquinário necessário para esse fim. Dessa forma, erradicar-se-ia, em partes, os problemas relacionados ao lixo no Brasil.